Impactos socioambientais no distrito Vardiero

0
343
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
ARTIGO EM PDF

ARTIGO ORIGINAL

MANSO, Alan José Corrêa [1], SANTANA, Leonardo Guedes [2]

MANSO, Alan José Corrêa, SANTANA, Leonardo Guedes. Impactos socioambientais no distrito Vardiero. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 04, Ed. 03, Vol. 09, pp. 124-131. Março de 2019. ISSN: 2448-0959.

RESUMO

O meio ambiente, seja qual for sua localização, sofre grandes impactos ambientais pela ação humana. Há diversos tipos de alterações no meio ambiente no qual podem prejudicar drasticamente o meio em que nós estamos inseridos. O principal objetivo deste artigo é verificar quais são os principais impactos ambientais sofridos no distrito Vardiero, município de Barão do Monte Alto – MG, lugar este que vem sofrendo uma pequena urbanização em que o recinto que por muitos anos considera-se zona rural, padece com as agressões e descuidos por parte de seus moradores e governantes.

PALAVRAS-CHAVE: Impactos ambientais, Distrito Vardiero, População.

INTRODUÇÃO

Não se pode negar que há uma evasão dos moradores de zonas rurais para o meio urbano nos dias atuais. Seja por conforto, trabalho, melhor qualidade de vida, acesso a recursos como farmácias, supermercados e dentre outros diversos fatores que contribuem para um estilo de vida mais favorável.

Mesmo assim, o distrito Vardiero vem sofrendo grandes mudanças consideravelmente notáveis desde sua origem e uma delas é o zoneamento. Casas foram construídas, ruas calçadas, acesso a meios de transportes públicos e a recursos de direitos públicos são alguns casos que este pequeno vilarejo que se tornou distrito adquiriu. Todos esses fatores acabaram afetando sua estrutura rural e consequências provenientes aconteceram a este lugar em desenvolvimento, mas com tantas mudanças que acabaram gerando grandes impactos neste local e um dos maiores aqui enfatizamos o impacto ambiental.

Segundo resolução do CONAMA, nº 1, de 23 de janeiro de 1986, publicada no DOU, de 17 de fevereiro de 1986, Seção 1, páginas 2548-2549, artigo primeiro, fala-se o seguinte:

“Para efeito desta Resolução, considera-se impacto ambiental qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetam: I – a saúde, a segurança e o bem-estar da população; II – as atividades sociais e econômicas; III – a biota; IV – as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; V – a qualidade dos recursos ambientais”. (CONAMA, 1986).

Há diversas formas de afetar diretamente e indiretamente o meio ambiente e o objetivo desde artigo é verificar quais são os principais impactos ambientais que o distrito Vardiero vem sofrendo, consequentes desta transição humana que vem afetando o ambiente em que vivem e que possa agravar ainda mais o local.

UM BREVE HISTÓRICO E CARACTERÍSTICAS FÍSICAS SOBRE O DISTRITO DE VILA VARDIERO

O distrito Vardiero, antes zona rural Vila Vardiero, pertence ao município de Barão Do Monte Alto, localizado na Zona Da Mata Mineira, Minas Gerais. Sua localização fica entre as cidades de Muriaé, Minas Gerais e perto de locais pertencentes ao município de Barão Do Monte Alto, como Cachoeira Alegre e Silveira Carvalho e foi levado a condição de distrito Vardiero de acordo com a Lei municipal nº 804 de 16 de Agosto de 2012, e a lei diz o seguinte:

“João Batista Duarte Abreu, Prefeito Municipal de Barão do Monte Alto, Estado de Minas Gerais, USANDO das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 54 da Lei Orgânica Municipal, faz saber que o povo deste Município, legitimamente representado pela Câmara Municipal, aprovou, e ele sanciona a seguinte lei;

 Art.1º Fica criado o Distrito Vardiero no Município de Barão do Monte Alto, […].

Art. 4º. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Da Sede da PREFEITURA MUNICIPAL DE BARÃO DO MONTE ALTO, AOS 16 DE AGOSTO DE 2012”, retirado do trabalho de conclusão de curso do ano de 2015, de Leonardo Guedes Santana, curso de licenciatura em geografia da Faculdade Santa Marcelina e também autor deste artigo.

De predominância familiar e cristã, sua cultura de plantio é conhecida na região pelo cultivo de arroz já que boa parte de seus residentes possuem como forma de trabalho a agricultura e pecuária, já os outros moradores acabam indo em busca de cidades maiores, como exemplo de Muriaé – MG, atrás de empregos, residindo muitas das vezes nestas localidades, ou voltando para o pequeno distrito após seus trabalhos. Ressaltando que esta poderia ser uma margem de futuras novas pesquisas relacionadas a este êxodo dos moradores deste local.

Segundo SANTANA, 2015:

“A população que mora nesse local entre 31 a 40 anos é a que parece ser a de população mais concentrada com 50% do total de entrevistados, uma vez que algumas moram na localidade desde seu nascimento antes da elevação da localidade à condição de distrito e outras vieram a se estabelecer logo mais tarde. Os moradores que residem de 20 a 30 anos correspondem a 30%. Apenas 20% do total da população parecem residir na localidade com mais de 60 anos observando nesse local mudanças no que diz respeito à transição de culturas e mudanças significativas na infraestrutura da localidade”. (SANTANA, 2015).

O bioma predominante do distrito é de origem da Mata Atlântica e em relação as suas estruturas físicas possuem poucas ruas, mas a maioria calçadas em pedras, uma escola primária até ao quinto ano, aonde consequentemente após este período alunos vão em busca de um novo local para continuar os estudos, uma igreja católica onde se concentra boa parte do regionalismo cultural como festas e eventos e um pequeno posto de saúde para atender a população residente. Sem Rios banhando o local, uma estrutura de casas simplórias, cercadas por pastos e plantios e consequências ambientais, destaque deste artigo.

O DISTRITO E SEUS IMPACTOS AMBIENTAIS

Ao abordar-se o distrito Vardiero e seu processo de formação e transição do rural ao urbano, é perceptível notar de maneira profunda as transformações decorrentes nessa pequena localidade. Esses processos de transformações que acontecem pela presença antrópica podem ser observados ao longo do distrito que vem se expandindo e aos poucos delineiam o lugar.

“Os estudos de impacto ambiental constituem-se em mecanismos de proteção e defesa do meio ambiente de importância internacional, sendo comumente adotados em vários países. Tamanha a importância desses instrumentos para proteção ambiental levou a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, conhecida como RIO 92, a prestigiá-los inserindo regra expressa em sua Declaração final”. (CARVALHO, 2014).

Com o crescimento populacional, a produção de resíduos é um dos grandes embates, de fato algo ainda não solucionado, mas perceptível e imaginável. Ao adentrarmos no distrito percebemos alguns dos problemas mais aparentes, tais como o corte de vegetação nativa, que geram desequilíbrio ecológico como, por exemplo, a perda de animais e vegetais.

A perda ainda se dá por queimadas intensivas a fim de que os proprietários ao expandir suas terras, sejam para o cultivo de plantações ou criar pastos para o gado, expõe outro gravíssimo entrave como a erosão dos solos, uma vez que a retirada de vegetação nativa deixa-os expostos á precipitações intensas. A erosão não é um dos casos particulares do tipo, também são sujeitos a formação de voçorocas, notável quando se anda pelos tais locais e a grande poluição que isso gera no ar.

Ainda se tratando dessa exposição do solo, as precipitações e a formação de processos erosivos levam para as ruas do distrito sedimentos como areias, galhos e folhas que se acumulam em torno das vias públicas de acesso aos moradores.

No distrito não há coleta seletiva e pontos específicos para os moradores depositarem seus lixos produzidos, com isto, a população é obrigada a deixar seus resíduos em árvores ou no chão, ocasionado um mau cheiro e presença de insetos, além da presença de outros animais que acabam espalhando os mesmos. Isto quando o próprio lixo não é queimado, gerando toda aquela consequência de poluição de ar. “Mas os principais impactos ambientais do lixo são decorrentes do descarte inadequado dos resíduos sólidos em fundos de vale, nas margens de rios e cursos de água. Essa prática gera contaminação da água, assoreamento (acúmulo de sedimentos na foz de um rio ou em um lago), enchentes e proliferação de animais transmissores de doenças como ratos, baratas, moscas, entre outros” (BRITO, 2018).

Essa localidade elevada a condição de distrito pelo poder municipal ainda não possui tratamento de esgoto. Um dos problemas é que a localidade não possui rios próximos de si, o que faz com que o esgoto local despejado em pequenos córregos ocasionando um terrível mau cheiro. Além do mais, com as chuvas e consequentemente pela formação da localidade ser como um vale, escoam grande quantidade das águas para tais córregos levando para dentro das residências próximas todo este acúmulo de resíduos, ressaltando que os moradores ficam sujeitos á doenças por este motivo.

Destaca-se ainda que esses resíduos se encontrem bem próximos de uma mina e necessita de certa atenção, pois constitui um risco para a localidade uma vez que também próximo é feito a retirada de água utilizada pela população para o consumo, banho, para lavar suas casas e aguar seus plantios, o que podem sofrer contaminações já que não há nenhum tratamento prévio.

“As decisões que envolvem o gerenciamento de resíduos sólidos urbanos são fundamentalmente decisões sobre saúde pública e requerem, portanto, a integração entre políticas econômicas, sociais e ambientais. O complexo desafio para as grandes cidades na gestão de resíduos sólidos neste início de século pode ser enfrentado pela formulação de políticas públicas que objetivem eliminar os riscos à saúde e ao ambiente, que colaborem na mitigação das mudanças climáticas relacionadas à ação humana e, ao mesmo tempo, garantam a inclusão social efetiva de parcelas significativas da população”. (GOUVEIA, 2012).

Outro grande entrave é a presença de insetos como pernilongos, moscas, baratas nos entulhos deixados no local pelos moradores, sem nenhuma finalidade, até mesmo nas obras de infraestrutura inacabadas pelo governo municipal, apresentando formação de matos e prejudicando a população local, uma vez que a capina não ocorre.

“O crescimento populacional dos últimos anos contribuiu para o agravamento da situação da condição ambiental. O consumo é parte da vida cotidiana sendo considerado de extrema importância uma vez que somos considerados consumidores em potencial. Por outro lado o modelo capitalista requer uma mudança havendo então a diminuição desse consumo desenfreado. De acordo com diversos cientistas a situação dos modelos atuais em breve poderá ser insuportável. A busca por uma melhor qualidade de vida aumenta o consumo e que consequentemente, produz uma maior quantidade de resíduos sólidos urbanos o que prejudica uma disposição final adequada do resíduo. A disposição inadequada dos resíduos produzidos nas residências e pelas indústrias tornam-se criadouros de insetos e roedores e causam a proliferação de vetores de doenças”. (ANTONI e FOFONKA, 2013).

Dessa forma, é importante que ao levarmos em conta o processo de formação de cidades maiores, como as mais antigas da humanidade e confrontarmos com locais menores como neste caso, percebemos que é através da presença humana que todo processo de desequilíbrio no meio ambiente acontece e problemas como este devem ser solucionados desde o início de formação a fim de que a qualidade de vida da população, junto ao ecossistema não venha a ser comprometida.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A natureza responde de forma por igual quando submetidas á diversas transições que o homem causa em seu território. Um ótimo exemplo a ser citado é o aquecimento global e com isso observamos diversos desastres naturais acontecendo em várias regiões do planeta.

O distrito Vardiero possui diversos fatores que contribuem para seu mal estar e gera incômodos em seus habitantes, levando em consideração aos diversos casos de impactos gerados naquele território como o desmatamento, erosões, falta de saneamento básico e falta de programas voltados para esta área, entre outros diversos que poderiam ser citados.

Desde a falta de atenção maior dos governantes daquele município ao qual o distrito pertence até o conhecimento por parte dos moradores sobre as consequências drásticas que estes danos podem causar, são fatores que devem ser levados em conta. Uma dica posteriormente seria a educação ambiental dos habitantes e um alerta á população á respeito das cobranças que devem ser feitas aos seus governantes municipais.

Preservar o meio em que vive é uma forma também de cuidar de seu bem estar, proteger e evitar qualquer tipo de poluição ou desmatamento gera grandes perspectivas positivas para a população e principalmente para o meio em que está ocorrendo tais fatos. É de suma importância a conscientização dos moradores e de uma relevância tão grande quanto à participação do poder público, pois, com a contribuição de todos, agregam-se grandes resultados para combater estes impactos e preservar o meio em que vivemos.

REFERÊNCIAS

ANTONI, R de; FOFONKA L. Impactos ambientais negativos na sociedade contemporânea. http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=1557. Acesso em: 16/01/2019.

BRITO, R. Impactos ambientais: o que é, principais causas e muito mais nesse artigo completo. https://www.stoodi.com.br/blog/2018/04/19/impactos-ambientais-o-que-e-acao-do-homem-principais-causas-e-muito-mais-nesse-artigo-completo/. Acesso em: 16/01/2019.

CARVALHO, V. N. A importância do estudo de impacto ambiental como instrumento para a promoção do meio ambiente ecologicamente equilibrado. https://jus.com.br/artigos/34799/a-importancia-do-estudo-de-impacto-ambiental-como-instrumento-para-a-promocao-do-meio-ambiente-ecologicamente-equilibrado. Acesso em: 16/01/2019.

Estatuto do conselho de desenvolvimento socioeconômico da Vila Vardiero – Distrito de Cachoeira Alegre. Cap.2, Art.4º. Das Finalidades, Atividades E Área De Atuação. fl 04, nº94, livro nº 05. Registro de pessoas Jurídicas. 12 de Dezembro de 1990.

GOLDEMBERG, J; VILLANUEVA, L. D. Energia, Meio Ambiente & Desenvolvimento. Edusp. São Paulo, 2003.

GOUVEIA, N. Resíduos sólidos urbanos: impactos socioambientais e perspectiva de manejo sustentável com inclusão social. https://www.scielosp.org/article/csc/2012.v17n6/1503-1510/pt/. Acesso em: 16/01/2019.

Instituto brasileiro de geografia e estatística (IBGE, 2014), Minas Gerais, Barão do Monte Alto, histórico. http://cidades.ibge.gov.br/ painel/historico.php? lang=&codmun=//. Acesso em: 06/03/2018.

Resolução CONAMA nº 1, de 23 de janeiro de 1986. Publicada no DOU, de 17 de fevereiro de 1986, Seção 1, páginas 2548 – 2549. http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=23. Acesso em: 06/03/2018.

SANTANA, L. G. A percepção do conceito de rural entre os moradores do Distrito da Vila Vardiero na atualidade. Trabalho de conclusão de curso. FASM – Faculdade Santa Marcelina. Muriaé, 2015.

SOUSA, W. L. Impacto Ambiental de Hidrelétricas: Uma Análise Comparativa de Duas Abordagens. Dissertação (Mestrado em Ciências). COPPE/ Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2000.

[1] Especialista em Análise Ambiental pela Faculdade Santa Marcelina, polo Muriaé – MG, graduado em Química pela Faculdade Santa Marcelina, polo Muriaé – MG, Estudante.

[2] Especialista em Análise Ambiental pela Faculdade Santa Marcelina, polo Muriaé – MG, graduado em Geografia pela Faculdade Santa Marcelina, polo Muriaé – MG, Estudante.

Enviado: Maio, 2018.

Aprovado: Março, 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here