Vida e obra de Machado de Assis: Suas semelhanças e diferenças

0
759
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI SOLICITAR AGORA!
PDF

ARTIGO ORIGINAL

COSTA, Maria Cristiane Alves [1], MODESTO, Kezia Maria [2], LOPES, Fabiana Araújo Vanin [3], AMARAL, Nair Delgado do [4], COSTA, Diane Alves [5], LIMA, Lucia Maria de [6]

COSTA, Maria Cristiane  Alves. Et al. Vida e obra de Machado de Assis: Suas semelhanças e diferenças. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 08, Vol. 05, pp. 05-14. Agosto de 2020. ISSN: 2448-0959, Link de acesso: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/literatura/vida-e-obra

RESUMO

Este artigo tem por objetivo destacar a vida e obras de Machado de Assis refletindo sobre sua vasto legado cultural que inclui romances, contos, poesias, peças de teatro, críticas, crônicas e correspondências.  e identificando as linhas principais de reflexão do escritor  e  sua própria produção para a literatura de maneira geral, a partir de um levantamento bastante minucioso de ideias sobre o que pensam alguns críticos a respeito de  sua obra como  escritor. Por isso, é difícil classificar a obra de Machado de Assis embora incorpore traços do realismo/naturalismo, a genialidade do escritor levou-o a superar estilos e modas, produzindo uma literatura com características próprias e únicas, que ultrapassou limitações de tempo e espaço.

Palavra-chave: Vida, obra, reflexão.

1. INTRODUÇÃO

O presente artigo, tem como objetivo  refletir  sobre a  vida e obras  de Machado de Assis, o tão célebre  escritor  intitulado como “percursor de tendências”, representa diante da literatura brasileira um dos maiores  nomes  da nossa literatura, escreveu praticamente todos os gêneros literários, sendo poeta, romancista, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista e crítico literário.

Ferrari (2019) menciona em seu artigo  que Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, natural do Rio de Janeiro, e  filho de Francisco José de Assis e Maria Leopoldina Machado de Assis. Devido a morte de sua mãe e seu pai   durante sua infância,  foi  criado pela sua madrasta, Maria Inês da Silva.  Ainda pequeno já sofria  com a epilepsia e a gaguez. Machado de Assis não era, por conseguinte, filho da favela, mas da chácara, nos dias que corriam , vibrante aspiração da classe média nacional.

Estudou em escola pública e teve aulas de francês e de latim com o padre Silveira Sarmento Aos 17 anos começou a trabalhar como  aprendiz em uma prensa de impressão e começou a escrever em seu tempo livre, e em 1869, ele já era  muito  valorizado como escritor.

Entretanto   a maior parte de seu extenso repertório cultural construiu sozinho e conseguiu adentrar no interior da classe burguesa da época, mesmo com as dificuldades por ser negro em uma sociedade ainda escravista.

Sobre as obras de  Machado de Assis, Carvalho (2010) afirma as mesmas possuem uma prosa concisa e elegante, recorrendo  a procedimentos estilísticos, como a paródia, a sátira, as digressões literárias e filosóficas, as conversas com o leitor, a oralidade, o humor irônico, a inter e a intratextualidade, a metalinguagem, o discurso indireto livre, a quebra de paralelismo, a litotes, a preterição, a linguagem impressionista, sendo assim como Machado de Assis como     se introduz na condição humana e  projeta   seus romances e contos, dentre os quais se destacou com  verdadeiras obras primas. (CARVALHO,2010)

Neste sentido falar sobre as  obras de Machado de Assis  é importante ter consciência da responsabilidade literária de um dos escritores de melhor formação da literatura brasileira.

2. VIDA DE MACHADO DE ASSIS

Quando Machado de Assis veio ao mundo em 21 de junho de 1839, no  Morro do Livramento (Figura 1), no Rio de Janeiro, filho de mãe açoriana e pai  negro brasileiro por linha paterna, neto e bisneto de escravos alforriados , o País, desde alguns anos, enfiara-se numa sucessão de revoltas interinas, a maioria das quais deixava vislumbrava a massa dos humilhados e ofendidos, junto aos quais pela história de sua origem, Machado se alinhava.

Figura 1: Morro do Livramento: onde Machado de Assis nasceu

Fonte: Wikipedia

Neste sentido Pardal (2014, p.01) destaca:

Pobre, negro e epilético. Nascido nessas condições, Machado de Assis encontrava-se em condições completamente adversas para que se tornasse, ainda em vida, um dos mais célebres brasileiros de todos os tempos, tendo sido fundador e o primeiro presidente da então renomada Academia Brasileira de Letras e sendo reconhecido como o maior escritor do país.

Tais lutas o acompanharam pela vida afora, cujos ecos ele registrou, desmontou, tornou a montar por força dos interesses do analista social que sempre se dispôs a ser, sem jamais ter traído o mundo que o viu nascer, ainda que tantos seus críticos não conseguissem desenvolver qualquer esforço no sentido de o encontrar por trás da máscara do pernóstico, ou do alienado, ou do doente, ou do ressentido etc., numa curiosíssima enumeração de disfarces que ora o engrandecem, ora o diminuem, a serviço sempre de causas que jamais tomaram por alvo a clarificação da questão social.

Machado de Assis  cresceu  no Morro do Livramento, e seu pai    era pintor de paredes e sua mãe lavadeira. Os  avós paternos de Machado  foram escravos alforriados. E foi por meio do apadrinhamento de Manuel Antônio de Almeida – autor do célebre “Memórias de um Sargento de Milícias”  que iniciou  sua carreira literária, e também devido ao seu trabalho como aprendiz de tipógrafo na Imprensa Nacional (Figura 2). E mais adiante engajou na  carreira de funcionário público,  através  da indicação direta da família real: em 1867 , por D. Pedro II com o cargo de  diretor-assistente do Diário Oficial, e pouco depois como assistente de diretor. Já em  1888 recebeu do Imperador uma condecoração oficial da Ordem da Rosa e foi indicado a concorrer ao cargo de deputado pelo Partido Liberal, Machado preferiu  retirar sua candidatura para não comprometer sua carreira. (PARDAL, 2014)

Figura 2: Imprensa Nacional 1880

Fonte: Wikipedia

Entretanto a vida do escritor maior decorreu quase toda ela, portanto, sob o signo do porrete de 1824, responsável, entre outros males, pelo absolutismo constitucional que, num golpe de torniquete, mais fechou no poder de governo nas mãos do imperador, detentor exclusivo também dos poderes Legislativo e Moderador.

Com amor e ódio, no caso de Machado (Figura 3) , porém, temperados de fina ironia, o criador de Brás Cubas e o Brasil tiveram de cultivar muita paciência até 1891, ano da promulgação da primeira constituinte, a qual se propôs a cuidar da descentralização do poder nesse perigoso movimento de diástole que, aos olhos do poder que tudo centraliza, ribomba como o trovão prenunciador da tempestade -, da divisão dos poderes, da eliminação do poder moderador, pondo fim ao Senado vitalício, à união da Igreja com o Estado, tendo igualmente criado o presidencialismo e autorizado a liberação dos cultos religiosos.

Figura 3: Perfil de Machado de Assis, 1904.

Fonte: Arquivo Nacional.

Sessenta e sete anos foi praticamente o tempo de duração da vida de Machado de Assis, que veio a falecer no Rio de Janeiro, às 3h45min da manhã de 29 de setembro de 1908.

3. PRINCIPAIS OBRAS DE MACHADO DE ASSIS

Quando Machado de Assis começa a  trabalhar aos 17 anos como aprendiz em uma prensa de impressão, passa a escrever em seu tempo livre, e em 1869, ele já era um escritor valorizado.

Sendo assim de acordo com França (2008) menciona que  os primeiros contos do  escritor datam de 1858 e 1907, onde Machado de Assis publicou 7 coletâneas de contos: Contos Fluminenses (1870), (Figura 4), Histórias da Meia-Noite (1873) Papéis Avulsos (1882)Histórias Sem Data (1884) Várias Histórias (1896) Páginas Recolhidas (1899) e Relíquias da Casa Velha (1906). Assim nesta perspectiva  são consideradas as principais obras da primeira fase de Machado de Assis:

  • Contos Fluminenses (1870)
  • Ressurreição (1872)
  • Histórias da Meia-Noite (1873)
  • A Mão e a Luva (1874)
  • Helena (1876)
  • Iaiá Garcia (1878)

Figura 4: Contos fluminenses  primeira coletânea de contos de Machado de Assis, sendo publicada em 1870

Fonte: Amazon.co.uk

Sobre as primeiras obras de Machado, França (2008), menciona que algumas de suas publicações eram quase sem valor por alguns críticos que são considerados autores clássicos atualmente, entre eles: Lucia Miguel Pereira, Massaud Moisés Barreto Filho e Jean Michel Massa.

Entretanto outros críticos como Antônio Candido, Alfredo Bosi, Jhohn Gledson e Roberto Schwartz, no que se referem aos contos e romances a  partir de 1880, atribuem grande importância as obras de Machado de Assis. Sendo que Roberto Schwartz tem sido em grande parte por  uma leitura sócio-histórica de Machado e que nos últimos trinta anos firmou quase que indiscutível sobra as obras de Machado. (FRANÇA, 2008)

Conforme Ferrari (2019) Machado de Assis, em sua segunda fase, reinventou o romance brasileiro.  E seus  personagens tiveram um aprofundamento no psicológico   e a historicidade deu  lugar para o íntimo do ser humano,  no que se refere aos seus anseios, além da própria hipocrisia da sociedade burguesa, desnudada em livros como Memórias Póstumas de Brás Cubas (figura 5). As principais características dessa fase são:  As principais obras da segunda fase do autor são:

  • Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)
  • Papéis Avulsos (1882)
  • Histórias sem Data (1884)
  • Quincas Borba (1891)
  • Várias Histórias (1896)
  • Dom Casmurro (1899)
  • Esaú e Jacó (1904))
  • Memorial de Aires (1908)

Figura 5: Memórias póstumas de Braz Cubas

Fonte: Wikipedia

Sobre as obras de Machado de Assis, França (2008) descreve que nas mesmas  busca-se uma compreensão de Machado de Assis e  percebe-se que o mesmo não nasceu “pronto”, mas que o amadurecimento chegou aos poucos .

CONCLUSÃO

Por todas as observações realizadas, pode-se concluir que Machado de Assis ocupa um lugar singular na literatura brasileira.

Pode-se, também, perceber que nas narrativas machadianas não há lugar para artifícios dispostos a iludir o leitor sobre alguma referencialidade, sobre alguma realidade exterior à obra. O que se evidencia, a todo momento, é a construção de um texto que se mostra ao leitor como tal.

Diante de análises  e reflexões sobre a vida e obra de Machado de Assis percebe-se que com o passar dos anos o autor teve um grande aprimoramento e deixou um vasto legado na literatura brasileira que demonstra a riqueza de detalhes da sociedade da época .

REFERÊNCIAS

BARRETO FILHO. Introdução a Machado de Assis.  2ª ed. Rio de Janeiro, Agir 1980.

BOSI, Alfredo et al, org. Machado de Assis. São Paulo, Ática, 1982.

CARVALHO, Castelar de. Dicionário de Machado de Assis: língua, estilo, temas. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

CARPEAUX, Otto Maria. “Uma fonte da filosofia de Machado de Assis”. In Vinte e Cinco Anos de Literatura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1968.

FERRARI, Leonardo. Machado de Assis. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/machado-de-assis. Acesso em: 21 de julho de 2020.

FRANÇA, Eduardo Melo: Ruptura ou amadurecimento ?Uma análise dos primeiro conto de Machado de Assis. Recife. Editora Universitária UFPE,2008.217p.

GOMES, Eugênio. Machado de Assis, Rio de Janeiro, Livraria São José, 1958.

LOPES, José Leme. A Psiquiatria de Machado de Assis. Rio de Janeiro, Agir/MEC, 1974.

MEYER, Augusto. Machado de Assis 1935 – 1958. Rio de Janeiro, Livraria São José, 1958.

PARDAL, Fernando: Machado de Assis e o racismo no Brasil. Disponível em: https://www.esquerdadiario.com.br/Machado-de-Assis-e-o-racismo-no-Brasil Acesso em: 21 de Julho de 2020.

[1] Curso de Letras-Licenciatura Plena, Pós graduada em Educação Especial e Inclusiva, Pós graduada em Literatura Brasileira, Pós graduada em Educação Infantil-Práticas na Sala de Aula, Pós graduanda em Psicopedagogia Clínica e Institucional, Pós graduanda neuropsicopedagogia.

[2] Curso de Letras-Licenciatura Plena, Pós graduada EM Educação Infantil e Séries Iniciais.

[3] Graduação Ciências Biológicas.

[4] Curso de Letras-Licenciatura Plena, Pós graduada em Língua Portuguesa, Pós graduada em Educação Infantil e Séries Iniciais.

[5] Graduada em Pedagogia, Pós graduada em Educação Infantil e Séries Iniciais, Pós graduada em Educação Especial e Inclusiva.

[6] Curso de Letras-Licenciatura Plena, Pós graduada e Língua Portuguesa.

Enviado: Julho, 2020.

Aprovado: Agosto, 2020.

Curso de Letras-Licenciatura Plena, Pós graduada em Educação Especial e Inclusiva, Pós graduada em Literatura Brasileira, Pós graduada em Educação Infantil-Práticas na Sala de Aula, Pós graduanda em Psicopedagogia Clínica e Institucional, Pós graduanda neuropsicopedagogia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here