USO DA ENERGIA SOLAR EM RESIDÊNCIAS

0
185
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI [ SOLICITAR AGORA! ]
USO DA ENERGIA SOLAR EM RESIDÊNCIAS
Classificar o Artigo!
ARTIGO EM PDF

ARTIGO ORIGINAL

NASCIMENTO, Eduardo Souza [1], BENEVIDES, Jose Claudio Moura [2]

NASCIMENTO, Eduardo Souza. BENEVIDES, Jose Claudio Moura. Uso Da Energia Solar Em Residências. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 03, Ed. 11, Vol. 07, pp. 117-124 Novembro de 2018. ISSN:2448-0959

RESUMO

A energia solar é a designação data a qualquer tipo de captação de energia luminosa (energia térmica) radiada pelo o sol, que é a fonte de energia mais abundante e intensa ao alcance da terra.

Este trabalho tem como objetivo relatar a conversão da luz solar em energia elétrica, a energia solar ou energia fotovoltaica é a fonte de energia mais promissória para o futuro, pois é uma energia limpa e sustentável.

Assim buscando analisar qual a melhor configuração do sistema para a implantação com o objetivo de redução de gasto com energia elétrica, trazendo economia para o usuário.

Palavras chave: Energia solar, Fotovoltaica, Sustentável, Economia

INTRODUÇÃO

A energia elétrica tem um papel de grande importância, para o uso residencial, comercial ou industrial, pois ela é o insumo básico pra todo o desenvolvimento econômico, tecnológico e social do mundo.

No Brasil, a principal fonte de geração de energia elétrica é a hidráulica, em seguida encontra-se a geração térmica (ANEEL, 2016). Como fontes alternativas e renováveis dessa energia observa-se o crescimento do uso da biomassa, dos ventos e da proliferação de pequenas centrais hidroelétricas, todas impulsionadas por programas governamentais de incentivo a Geração Distribuída (FRAUNHOFER, 2013).

A conversão de energia solar fotovoltaica apresenta elevado potencial no Brasil, onde a irradiação média diária está entre 4,8 e 6,0 kWh/m² por dia. Na Alemanha, país que possui a maior capacidade instalada em energia fotovoltaica, a máxima irradiação diária não ultrapassa 3,2 kWh/m² (COMERC, 2016).

Desta forma, a implantação desse sistema fotovoltaicos intrigados em residências e essencial para redução de despesas e a dependências de fontes de geração, assim contribuindo para o meio ambiente ao produzir energia limpa e renovável.

DESENVOLVIMENTO

Instalação de energia solar na residência viabilizando o reaproveitamento dos recurso naturais tronando assim um forma de economia econômica para o usuário. A metodologia adotada consiste de pesquisa bibliográfica, de pesquisa documental sobre sistemas fotovoltaicos com utilização de baterias para armazenagem de energia, O tema da pesquisa é a transformação de energia solar em energia elétrica através da utilização de células fotovoltaicas.

O Sol é uma fonte de energia tão intensa que pode ser considerado uma imensa fornalha de forma esférica. O núcleo solar pode alcançar temperaturas perto dos quarenta milhões de graus centígrados e sua superfície pode atingir 6000ºC (Hinrichs, 2010).

O Brasil é um pais situado na sua maior parte na região intertropical e detém grande potencial de energia solar durante todo período do ano, possui um alto índice médio diário de radiação solar, segundo Zilles et al. (2012), apresenta uma disponibilidade anual de 1.758 kW/m², aproximadamente.

Parte da energia solar que chega à Terra, bate na atmosfera e nas nuvens e retorna para o espaço. Considerando a radiação solar que chega à superfície terrestre e incide sobre uma superfície receptora para geração de energia, tem-se que ela é constituída por uma componente direta (ou de feixe) e por uma componente difusa.

Figura 1: Radiação Solar.

Resultado de imagem para componentes da radiação solar
Fonte: https://aulasdegeografiaodivelas.wordpress.com/radiacao-solar/

Um gerador de energia solar residencial é o conjunto de equipamentos que permite aos moradores de uma casa gerar a própria energia elétrica em suas residências através da luz do sol. Esse geradores são conhecidos de sistemas fotovoltaicos que funcionam através de dois principais componentes; os módulos fotovoltaicos (popularmente conhecidos como placas solares ou paneis solares).

Primeiramente, é importante ressaltar que a energia elétrica pode ser produzida até mesmo em dias nublados, devido ao funcionamento dos paneis fotovoltaicos. Mas para que isso posso ocorrer as placas devem estar instaladas em um local com elevado incidência solar.

Como existem diversos tipos de sistemas fotovoltaicos, é importante entender como cada um deles funciona e quais são os custos para instalação, para evitar surpresas futuramente. Assim, verifique quais modelos estão disponíveis para o seu tipo de residência, sempre levando em consideração a eficiência do módulo fotovoltaico e seu custo.

Além disso, analisar a vida útil do sistema é outro ponto importante. Como o retorno do investimento só acontece depois de certo tempo, é necessário entender como será a situação das placas quando isso ocorrer.

Como existem diversos tipos de sistemas fotovoltaicos, é importante entender como cada um deles funciona e quais são os custos para instalação, para evitar surpresas futuramente. Assim, verifique quais modelos estão disponíveis para o seu tipo de residência, sempre levando em consideração a eficiência do módulo fotovoltaico e seu custo.

Além disso, analisar a vida útil do sistema é outro ponto importante. Como o retorno do investimento só acontece depois de certo tempo, é necessário entender como será a situação das placas quando isso ocorrer.

Figura 2: Kit de energia solar.

Kit de Energia Solar
Fonte:portalsolar.com.br

INSTALAÇÃO DO SISTEMA

1. Preparando o local de instalação das placas solares – Com base no layout desenhado para o sistema, a equipe de instalação, sobe no telhado da sua casa ou empresa e desenha onde será alocado cada painel solar.

Figura 2: Suporte.

Preparando o Local de Instalação das placas solares
Fonte:portalsolar.com.br

2: Instalando os “suportes” dos painéis solares – Em telhados de barro, as telhas são removidas nos lugares certos, de acordo com o layout, e os “suportes” são aparafusados nestes pontos provendo a base da fixação do sistema. Em telhados de metais, a instalação é mais simples e o suporte é aparafusado através da própria telha metálica provendo segurança e proteção contra infiltrações.

Figura 2: Trilhos.

A instalação dos “trilhos” onde os painéis solares serão fixados
Fonte:portalsolar.com.br

3: A instalação dos “trilhos” onde os painéis solares serão fixados – As estruturas de fixação são todas pré-fabricadas, normalmente em alumínio. Os trilhos são feitos para encaixar perfeitamente nos suportes e prover um local perfeito para prender os painéis solares

4: Instalar as placas solares sobre os trilhos e conectar os cabos – Com os trilhos bem fixos é hora de instalar os painéis em seu devido lugar e conectar os cabos.

Figura 2: Fixando as placas no trilho.

Instalar as placas solares sobre os trilhos e conectar os cabos
Fonte: portalsolar

5: Conectar os painéis solares no inversor solar e instalar o inversor na rede elétrica de sua casa ou empresa – Esta é a parte final da instalação, onde quem trabalha é somente o eletricista. Após a instalação e a conexão à rede, o sistema de energia solar já está produzindo energia elétrica e você começa a economizar na conta de luz imediatamente.

Figura 2: Instalação concluída.

como montar um sistema de energia solar
Fonte:portalsolar.com.br

A manutenção do sistema de energia solar é mínima e de baixo custo, porém deve ser feita. A manutenção consiste basicamente em limpar as placas solares a cada ano, ou quando o sistema apresentar uma queda na produção de energia. Esta limpeza é simples e feito da mesma forma que você limpa uma janela, ou seja, basta passar um pano ou esguichar um pouco de água que a placa estará limpa de qualquer sujeira.

A outra parte da manutenção é relacionada ao inversor solar. Dependendo do tipo de inversor que você usar será necessário substituir uma ou outra parte dele depois de 5-10 anos.

No geral, a manutenção de um sistema de energia solar é muito baixa e barata. Ou seja, o impacto da manutenção no custo da energia é mínimo e não representa mais do que 1% por ano do custo total do sistema.

CONCLUSÃO

A cada ano a geração distribuída de energia fotovoltaica tem ganhado mais espaço no Brasil. No ano de 2012, através da Resolução Normativa N˚ 482, a ANEEL estabeleceu o marco inicial dos sistemas conectados à rede elétrica. De quatro projetos existentes em 2012, hoje são 10 mil projetos de micro e mini geração distribuída em todo o país. A ANEEL estimou que até 2024 deverão ser ao menos 1,2 milhão de unidades totalizando 4,5 giga watts de potência instalada.

A cada ano a geração distribuída de energia fotovoltaica tem ganhado mais espaço no Brasil. No ano de 2012, através da Resolução Normativa N˚ 482, a ANEEL estabeleceu o marco inicial dos sistemas conectados à rede elétrica. De quatro projetos existentes em 2012, hoje são 10 mil projetos de micro e mini geração distribuída em todo o país. A ANEEL estimou que até 2024 deverão ser ao menos 1,2 milhão de unidades totalizando 4,5 giga watts de potência instalada.

Por fim conclui-se que o sistema de energia solar é um investimento com retorno em longo prazo, uma alternativa vantajosa para locais isolados, onde não chega a rede de transmissão das hidroelétricas, mas o mais importante é a contribuição para o desenvolvimento sustentável.

REFERÊNCIAS

[1]. • AZEVEDO, M.; CUNHA, A. Fazer uma célula fotovoltaica. Disponível em: Acesso em 02 Out. 2013.

[2]. • BARBOSA, W. A., BORGES, L. E. P., CORREIA, J. C. Soluções Energéticas para a Amazônia, Eletrificação de Comunidades Isoladas. Sistemas Híbridos. MME, 2007.

[3]. • SINAPI – Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil.

[1] Graduando em Engenharia Civil. Centro Universitário do Norte UNINORTE

[2] Professor José Cláudio Moura Benevides. Graduado em Engenharia Elétrica. Universidade do Estado do Amazonas UEA

Enviado: Outubro, 2018

Aprovado: Novembro, 2018

 

Como publicar Artigo Científico

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here