Tenha inteligência emocional para publicar o seu artigo científico

0

Por que precisamos falar em inteligência emocional?

Por que precisamos falar em inteligência emocional?Olá, tudo bem? Em nossa conversa de hoje iremos discutir sobre a importância da inteligência emocional ao escrever e publicar um artigo científico. Alguns anos atrás, esta pauta adquiriu uma profundidade ainda maior. Com o passar dos anos, temos observado que a inteligência emocional é o grande inteligente para nos adaptarmos a este universo tão complexo. É esta inteligência que nos impulsiona ao sucesso em algumas áreas. No contexto acadêmico isto não é diferente. Especialmente no momento de publicar um artigo, esta inteligência é essencial. Hoje, diversas pessoas comentam e incentivam as pessoas a publicarem um artigo. Muitas delas acabam adotando um posicionamento muito enfático, que não é tão válido na vida real. Na verdade, a sua realidade não pode ser comparada com a de outras pessoas, pois cada contexto de vida é único e particular.

As “culturas acadêmicas”

A academia não é homogênea. Cada instituição tem a sua forma de agir e produzir ciência. Algumas delas, entendem que a publicação de artigos deve ser feita em revistas específicas. Outras, por sua vez, prezam pelas revistas que priorizem o impacto social dos materiais. Além disso, você, enquanto pessoa, também terá uma estratégia para publicação de seus textos. Por esse motivo, precisamos entender um pouco mais o processo de publicação. O conhecimento, a sabedoria e a inteligência são poderosos aliados. Iremos mencionar alguns aspectos gerais que aplicam-se a perfis diversos de pessoas. Se você se sente compromissado com a publicação ou se ela é uma exigência, esse post é para você. Em primeiro lugar, precisamos discutir sobre os seus objetivos com esta publicação. É necessário que você realize um exercício de reconhecimento e auto análise acerca do seu intuito com a publicação.

O autorreconhecimento dos meus objetivos

O autorreconhecimento dos meus objetivosÉ fundamental que você tenha claro em mente o porquê você está publicando neste momento da sua vida. As finalidades são diversas. Você pode publicar porque se trata de uma exigência. Este artigo pode ser o trabalho final em um curso de graduação ou mesmo de mestrado. Além disso, essa publicação pode visar o ingresso em um programa de mestrado. Pode ser que você pontue melhor caso tenha publicado um ou mais artigos. Analise sempre os requisitos mínimos para aprovação e, a partir disso, estabeleça uma estratégia pessoal para conquistar esse objetivo. Esta publicação pode servir, também, como exigência para cumprimento de créditos em um programa de mestrado ou doutorado. Nesse caso, analise quais são os tipos de publicações válidas e aceitas pelo seu programa. Há professores, inclusive, que organizam livros com os artigos de seus alunos e publicam. Analise suas possibilidades.

A pontuação de materiais científicos

Os livros são excelentes, contudo, no caso de pontuações, artigos científicos publicados em revistas tendem a pontuar melhor em processos seletivos. Essa publicação pode não ser pontuada ou resultar em poucos pontos, o que demanda uma estratégia mais efetiva. Saber quais são os critérios que a publicação deve obedecer e onde ela pode ser publicada é fundamental. Além disso, artigos podem ser publicados como promoção de carreira. Além dos critérios da publicação, questões como visibilidade, alcance, público-alvo e aspectos de sua área devem ser analisados para que a publicação seja vantajosa. Muitas pessoas se perguntam se a publicação em revistas nacionais pode ser replicada em outros idiomas. Tudo depende da sua área e campo de investigação. Artigos também são válidos para a promoção pessoal. É útil para profissionais que atuam em um setor específico.

Atuação em campos específicos

Se você é um advogado que atua na área de direito da família, é muito interessante a publicação de artigos diversos que sanem as dúvidas frequentes de seus clientes ou dos clientes que pretende atender. Assim, a sua estratégia de publicação precisará levar em consideração outros critérios, como a indexação, publicação no formato HTML, o acesso fácil e gratuito ao seu público-alvo, como esse material será divulgado nas redes sociais, dentre outras questões. Há um cuidado extra que outras estratégias para publicação de artigos não precisam. Se você deseja utilizar esses artigos científicos como estratégia para agregar valor ao produto/serviço ofertado ao cliente/paciente, não adiantará a publicação de um artigo em inglês. O alcance é pouco significativo. Análise qual tipo de público você deseja impactar. Por fim, os artigos também possuem sua relevância em concursos públicos.

Artigos em concursos públicos e como executar a estratégia?

Há uma série de concursos públicos que pontuam um pouco mais os candidatos que publicam artigos científicos. Atenha-se às exigências. Qualquer que seja a sua necessidade com esta publicação, seja por exigência, para devolver à sociedade o conhecimento que obteve, é preciso ter uma estratégia. Tenha muito claro em mente os objetivos que irá percorrer. Saber como avaliar e escolher a revista, não recair em achismos e não se deixar ser consumido por posições ideológicas é crucial. Todo conhecimento serve para alguém, mas, nesse momento, pode não ser útil para você. O que funciona para você pode não servir para o outro. É natural. Suponhamos que você está em uma instituição e deseja trabalhar com uma certa estratégia de promoção para ministrar aulas/ingressar em uma livre docência. Irá se deparar com uma política de publicação específica a este contexto, que se volta ao público internacional.

Alinhando os objetivos

Alinhando os objetivosSe os seus objetivos estão conectados com aqueles do contexto que está imerso, a sua estratégia será eficiente, porém, usando nosso exemplo, se a ênfase da instituição é na publicação internacional e você busca a promoção de imagem, poderá se frustrar. O meio escolhido para publicação irá influenciar no sucesso da sua publicação. Com isso, adentramos em um segundo ponto importante: a avaliação. Há, hoje, diversas discussões a respeito da avaliação pelos pares. Alguns, inclusive, defendem que essa avaliação deixará de existir no futuro. Entende-se que o pesquisador tem o direito de publicar e a sociedade seria o grande termômetro que mensuraria essa publicação e o seu alcance. O grau de impacto mediria esse alcance. É uma tendência global, mas, no Brasil, a avaliação é feita pelos pares. O artigo, até que seja publicado, passa por uma série de análises acerca da sua validade.

As etapas da análise do artigo

As etapas da análise do artigoHoje, além da avaliação do conteúdo, analisa-se a estrutura, o plágio e outros aspectos. Os profissionais que irão analisar o seu material sempre terão uma titulação superior à sua. Embora haja esses questionamentos, hoje, toda revista científica opera dessa forma. Até o ano de dois mil e vinte e um, esse processo é obrigatório para todas as revistas. Nunca ache que o seu texto foi reprovado porque os editores não gostam de você. Em geral, esses artigos são avaliados às cegas, porém, uma série de exigências precisam ser atendidas. Essas exigências consolidam-se na forma de normas a serem seguidas. Acesse o site da revista e verifique quais são as diretrizes para os autores. Baixe o template e/ou analise os últimos artigos publicados. Existem revistas que possuem temáticas específicas. Você pode ser da área da administração e o seu professor pode indicar a publicação em uma revista voltada à sustentabilidade.

Atenção às especificidades da revista

Se o próprio título da revista é sustentabilidade, caso o tema do seu artigo, incluindo o título, não reflita as noções de sustentabilidade, você não irá conseguir publicar. O mesmo ocorre com as revistas de enfermagem multidisciplinares. Existem revistas que trabalham com áreas muito específicas, assim, é crucial que você leia com muita atenção as diretrizes para os autores e consulte as normas da revista. Se o escopo deste artigo não estiver alinhado ao da revista, você não irá conseguir publicar. Atenção: um artigo em processo de análise em uma revista não pode ser enviado para outra. Além de ser um problema de falta de ética, é ilegal. Artigos idênticos que são publicados em duas revistas diferentes acarretam em penalizações para todos, revista e autor. Além disso, no Brasil, a titulação é um critério considerado para aprovação dos materiais.

A titulação na publicação científica

Há revistas que publicam artigos apenas quando os doutores assinam. Outras exigem que este doutor seja o primeiro autor. Essa situação nem sempre fica clara em todas as revistas. Análise dos artigos que foram publicados antes. Se eles costumam ser assinados por doutores e obedecem a esta ordem, atenha-se a esta questão antes de submeter o material. Esta situação persiste pois, por muitos anos, aqueles que publicaram no Brasil faziam parte de uma parcela reduzida de pessoas responsáveis pela produção brasileira. Desse modo, a CAPES criou a Qualis para investigar quantas eram as pessoas que publicavam, o que fazia com que os programas a elas associados ganhassem notas em uma escala de 3 a 7. Esta tendência se tornou uma cultura acadêmica. Hoje em dia, o cenário é outro, porém, muitas pessoas ainda não se adaptaram. Diversos pesquisadores e órgãos resistem a esta nova tendência.

A polêmica da Qualis

Qualis não é sinônimo de qualidade, como muitos pensam e defendem. Tem sido alvo de várias discussões e tem passado a adotar outras métricas para mensurar nossa ciência. A Qualis trata-se de um dos critérios a partir dos quais os nossos programas de pós-graduação são avaliados de forma periódica. Não analisa-se a qualidade da revista, mas sim o quanto esta tem publicado. Há que se chamar a atenção para o fato de que certas revistas fora do Brasil não possuem impacto nenhum, mas o tem aqui. Essa relevância é resultado de pesquisadores antigos que costumavam publicar massivamente nessas revistas. Embora a qualis esteja mudando, ela volta-se à mensuração da pós-graduação brasileira. É o programa que é mensurado e não o pesquisador. Se você está na graduação ou realiza um curso lato sensu, fique tranquilo. A CAPES mensura apenas os cursos de pós-graduação stricto sensu.

Qualis impacta em nossa vida?

Muitos se desesperam com a atuação da CAPES. Na verdade, ela pouco impacta em nossa vida enquanto pesquisadores. Tome muito cuidado com o que circula na internet. Há diversos artigos que afirmam o que colocamos: qualis não é e nunca será sinônimo de qualidade. A depender do seu objetivo, essas questões são secundárias e em nada lhe afetarão, como em concursos públicos ou para promoção pessoal/de carreira. Essa forma de classificação possui validade apenas no Brasil, já que em outros países os indicadores são diferentes. Assim, o principal critério para que uma revista tenha qualis é que os pesquisadores informam que esta publicação foi feita e que ela atende a todos os critérios da Plataforma Sucupira. Por fim, precisamos discutir sobre como a inteligência emocional age nesse contexto. O primeiro aspecto é a serenidade.

A influência da serenidade na pesquisa

A influência da serenidade na pesquisaQuanto mais tranquilo você estiver, mais fácil será a sua estadia na academia. Busque entender esse universo e ficar seguro com si mesmo. Com o tempo, você perceberá que o atendimento a todos esses elementos irá fazer com que o seu trabalho não seja reprovado. As reprovas são bem-vindas, na verdade. O pedido por uma mudança de título, por acréscimo e enfoque em certos autores ou outros questionamentos ajudam a pesquisa a ganhar maturidade. Tenha resiliência. Outro ponto importante é o templo. Planeje-se: quanto mais tempo você tiver, mais tranquila será a execução da pesquisa. Ter tempo para esperar o parecer e o retorno e para atender às sugestões é crucial. O tempo para escolher a sua estratégia de publicação também é importante. O plágio também é um ponto que deve ser destacado. Toda revista séria verifica se o material submetido não se encontra publicado em outro local.

Se esse material estiver publicado em qualquer site da web, não poderá ser republicado. A inteligência artificial consegue fazer essa varredura rapidamente. Revistas que aceitam materiais com plágio podem ser seriamente prejudicadas no processo de indexação. A ausência de plágio é um dos primeiros critérios para que o seu material seja avaliado. Cuide, também, da sua imagem. Se você está assinando esse material com outra pessoa, analise quem é essa pessoa, se ela se envolve com escândalos e se a linha de raciocínio é compatível. Esse cuidado é necessário para que você não tenha problemas com esse vínculo. Tenha atenção a sua imagem e a qualidade do seu trabalho. O seu posicionamento e os autores nos quais se embasa são aspectos decisivos. Tome cuidado, ainda, com os especuladores e com o local de fala de uma pessoa. Cada pessoa posiciona-se de uma forma e o respeito à multiplicidade é essencial.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui