Artigos Científicos Pagos: Bases de Dados Scielo, Pubmed e Lilacs: Entenda As Diferenças

0

As plataformas de artigos científicos pagos

O meio acadêmico frequentemente exige que nós publiquemos artigos científicos. É bastante comum, inclusive, que precisemos consultar os mais diversos artigos para construir o nosso próprio, seja para construir a estrutura, seja para utilizá-los como apoio para construir o nosso marco teórico.

É uma etapa fundamental em todo e qualquer trabalho. Porém, na nossa conversa de hoje, vamos discutir um pouquinho sobre os artigos científicos pagos.

Eles, geralmente, podem ser encontrados em bases de dados como a Pubmed, a Scielo e o Lilacs. As dicas de hoje têm como objetivo principal ajudar você a conseguir escrever o seu artigo e a consultar essas bases de dados, pois elas fornecem os mais diversos tipos de materiais.

A principal motivação para a pergunta de hoje é que as pessoas, às vezes, apontam que não encontram materiais suficientes em plataformas como o Scielo e o Lilacs.

A política de publicação de artigos no Brasil

Diferentemente de outros países, aqui no Brasil nós não temos o hábito de pagar para que os nossos artigos científicos sejam publicados. Essa é uma questão cultural que varia de acordo com cada país.

Já no exterior é muito comum que os pesquisadores, principalmente os da área da saúde, paguem para que os seus artigos possam circular, e assim, chegar a maior quantidade possível de pessoas.

Esse valor pago é deveras alto. É comum também que quando esse pesquisador não paga para que o seu artigo seja publicado, ele costuma cobrar aqueles que querem ler esse material.

Assim, quem paga é o leitor, e não o pesquisador que publica o artigo. Essa pode ser uma pergunta estranha para pessoas de áreas diferentes, pois é uma tendência mais comum na área da saúde. Como o Pubmed e o Lilacs são bases de dados da área da saúde, vou me aprofundar um pouco mais nessas duas.

Como as áreas do conhecimento lidam com o pagamento dos artigos no Brasil?

Áreas das Ciências Humanas, de forma geral, podem achar estranha essa tendência de pegar para ler os materiais ou, ainda, para que os materiais sejam publicados.

Já na área das Ciências Exatas, principalmente os cursos da área das Engenharias diversas, essa prática de pagar para acessar ou publicar esses artigos não é tão estranha aos pesquisadores.

Sobre a área da saúde, essa prática é mais recorrente, sobretudo quando os materiais científicos são publicados em bases de dados internacionais, pois fora do país, as Ciências Humanas, Exatas, da Natureza e as Linguagens já reconhecem essa prática.

Considerando o que apontei até aqui, precisamos conversar um pouquinho sobre as bases de dados brasileiras para que saibamos como elas funcionam.

É bastante comum que, a depender da área, os pagamentos pelos artigos podem ser mais ou menos frequentes.

A base de dados Scielo

Podemos começar com a base de dados Scielo. Ela é brasileira, e dessa forma, fornece a quem a acessa muitos materiais em língua portuguesa, bem como em línguas estrangeiras, principalmente em inglês e espanhol.

Como ela funciona como uma base de dados, ela coloca na internet links para o acesso aos materiais originais, ou seja, os pesquisadores publicam em revistas científicas diversas, e a partir dessa publicação, a Scielo reúne esses materiais e os indexa.

Ao acessar esses materiais, somos redimensionados para a revista em que esse material se encontra publicado.

Todos os créditos devem ser dados à revista e não à base de dados Scielo. As revistas com as quais a Scielo trabalha são maiormente brasileiras ou pertencentes à América Latina, embora possa fornecer materiais de outros lugares.

Objetivo da Scielo

Trata-se de um portal que reúne, organiza e publica, na internet, textos completos das mais diversas acadêmicas/científicas do Brasil.

Além disso, a plataforma também produz e divulga alguns indicadores sobre o uso e o impacto dos artigos científicos vinculados a ela. Ela é de livre acesso e conta com um modelo cooperativo de publicação digital.

Ela nasceu como resultado de uma parceria entre a Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (FAPESP) com o Centro Latino-Americano e do Caribe de Informações em Ciências da Saúde (Bireme), e, a partir do ano de 2002, passou a contar também com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Funcionamento da Scielo

Especificamente sobre o funcionamento da plataforma, posso afirmar que ela atua como uma base de dados responsável por abranger uma coleção que seleciona, de forma ampla, periódicos científicos brasileiros bem como publicações acadêmicas de outras nações. Seu principal objetivo é apresentar uma metodologia padrão para a preparação, armazenamento, disseminação e avaliação da produção científica brasileira em formato acadêmico.

Para isso, a Scielo fornece acesso amplo e completo às coleções dos mais variados materiais científicos. O acesso aos artigos científicos se encontra disponível por meio de índices e formulários de pesquisa. Atualmente, a plataforma conta com aproximadamente 600 mil artigos e mais de 1.000 periódicos.

Ela é atualizada com bastante frequência, pois diversos materiais são publicados e armazenados nessa base de dados a cada mês. Dessa forma, com o avanço das suas atividades, novos títulos são incorporados, regularmente, à coleção de sua biblioteca, e assim, amplia-se as possibilidades a serem pesquisadas pelos mais diversos pesquisadores e acadêmicos.

Além do Brasil atualmente a Scielo conta com a participação ativa de algumas outras nações como mencionei. Os países mais frequentes, além do Brasil, são a África do Sul, a Argentina, a Bolívia, o Chile, a Colômbia, a Costa Rica, a Cuba, a Espanha, o México, o Peru, o Portugal, o Uruguai e a Venezuela. O Equador e o Paraguai já demonstraram interesse em ingressar nessa parceria.

Por causa dessas parcerias os idiomas dos materiais disponibilizados são o português, o espanhol e o inglês.

Como buscar materiais na Scielo

Para buscar pelos seus materiais de interesse basta executar quatro passos. Em primeiro lugar, acesse a página inicial da plataforma. Feito isso, no campo de busca, digite a palavra-chave, assunto ou nome do periódico que deseja acessar e clique no ícone “pesquisar”. Feita a pesquisa, é possível filtrar os artigos a partir de alguns critérios de seu interesse.

Eles são: ordem de relevância; ano de publicação; idioma e outros. Isso é interessante, pois te ajuda a obter resultados mais específicos relacionados ao seu tema de interesse/investigação. Por fim, ao clicar no título do seu artigo de interesse, você irá encontrar uma caixa intitulada de “Serviços Personalizados”.

Nela você irá encontrar um botão que te deixará baixar o artigo em PDF. Escolha essa opção para baixar o seu documento.

Por que não encontro todos os materiais na Scielo?

Devido ao fato de que a Scielo trabalha com núcleos específicos, ou seja, com o Brasil e com os países próximos a ele, há certa restrição no fornecimento de materiais. É esse o motivo para que nem todos os materiais consigam ser indexados por essa plataforma. Por exemplo, quando eu publiquei o meu artigo sobre a B12, também não encontrei muitos materiais na Scielo. Agora você me pergunta: por que isso acontece? Bom, principalmente porque determinados temas, no Brasil e na américa Latina, os pesquisadores não estavam estudando a temática.

É por isso que há a falta de materiais para algumas áreas. No meu caso, dentro do contexto que estava procurando, não existiam pesquisas que refletiam sobre o que eu queria. Logo, tive que buscar em outros lugares. Isso ocorreu, principalmente, porque havia outras bases de dados fortes na área da saúde, então é nelas que eu fui procurar por outros materiais.

Conhecendo a Pubmed

Como conversamos, as bases de dados da área da saúde costumam fornecer materiais a serem pagos para que possam ser publicados e/ou acessados. A Pubmed funciona como a Scielo: também reúne os mais diversos materiais, contudo, o seu núcleo de atuação não se restringe ao Brasil e à América Latina. Ela reúne e indexa os materiais a nível mundial. Assim, ela possui mais materiais que a Scielo, visto que o seu campo de atuação é mais abrangente.

Ela, diferente da Scielo, não é uma base de dados tão fácil de ser encontrada. Isso já aparece no seu link de acesso. Pode fazer com que as pessoas não consigam encontrá-la para acessar os seus materiais. Isso faz também com que o seu público seja mais específico, ou seja, mais restrito.

Como ela atua em um nível maior, é bastante comum que encontremos materiais de americanos e de europeus. Como o contexto de lá é diferente do nosso, possivelmente esses materiais terão de ser adaptados à nossa realidade.

O principal objetivo da Pubmed é demonstrar, de forma dinâmica, o que os pesquisadores da área da saúde do mundo todo têm publicado nas mais diversas revistas, sobretudo nas americanas e nas europeias, embora seja possível encontrar materiais de todas as regiões, diferentemente da Scielo, que é mais local e regional.

Devido à essa internacionalização, a maioria dos artigos científicos reunidos pela Pubmed estão no idioma inglês.

É algo para se ater quando for buscar pelos materiais. Uma dica que gostaria de dar para você pesquisar nessa plataforma é: pegue o seu tema e as suas palavras-chave e traduza para o inglês no próprio tradutor do Google.

Assim você conseguirá acessar uma quantidade maior de artigos na área da saúde.

Funcionamento da Pubmed

Se você colocar tanto o seu tema quanto as palavras-chave do seu tema no idioma português, muito provavelmente você não encontrará materiais ou encontrará poucos, visto que, de forma geral, a base de dados reúne materiais no idioma inglês.

É comum que se você procurar esses materiais em português, eles não tenham muito a ver com o que você deseja pesquisar, visto que a quantidade de artigos fornecidos será tão pequena quanto na Scielo, em relação à materiais da área da saúde.

Quando você digitar, na barra de busca, o tema ou as palavras-chave do seu tema no idioma inglês você encontrará algumas informações.

A primeira delas é a quantidade de artigos encontrados. A segunda, possivelmente, será o tema encontrado a partir do que você digitou na barra de busca, e, em seguida, haverá informações sobre o tema que pesquisou.

Estrutura da Pubmed

Se você clicar nessas informações, encontrará uma espécie de resumo e o direcionamento para a revista na qual esse material se encontra publicado. Quando você clicar nesse link de direcionamento, você saberá se aquele artigo que você deseja acessar é pagou ou não. Uma dica que pode te ajudar caso não queira acessar materiais pagos é selecionar, na hora de fazer a busca na Pubmed, a opção de “artigos completos gratuitos”.

O mesmo vale para caso você deseje comprar esses materiais. Basta selecionar a opção escrito “todos”. Ao selecionar “todos” serão fornecidos a você todos os artigos vinculados à Pubmed, inclusive aqueles que você precisa pagar para obter acesso.

A própria Pubmed dirá a você se aquele artigo que deseja acessar é pago ou não. Vem escrito junto as informações gerais sobre o material quando você o pesquisa.

Para encontrar artigos pagos aqui no Brasil, é preciso prestar atenção porque por uma questão de programação, ao identificarem que o seu registro é brasileiro, a própria base de dados pode te fornecer materiais no idioma inglês, mas que fazem parte de regiões próximas do Brasil, ou ainda, são apenas do Brasil.

Você pode escrever na Pubmed o nome de uma revista científica que você sabe que tem materiais que te interessam para buscar nela conteúdos que não façam parte apenas dessa região. Ela irá te redimensionar para o site dessas revistas.

Caso o artigo seja pago, o próprio site da revista irá te informar, pois elas, em geral, possuem um próprio mecanismo, geralmente um botão, que te deixa pagar pelo artigo caso ele não seja gratuito.

Os valores variam bastante, pois não existe um padrão.


Download Artigos Científicos Pagos: Bases de Dados Scielo, Pubmed e Lilacs: Entenda As Diferenças


Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui