Projetos de pesquisa de mestrado – Pontos fundamentais para a aprovação

0

O que faz com que um projeto de pesquisa seja aprovado?O que faz com que um projeto de pesquisa seja aprovado?

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje, iremos discutir sobre quais são os aspectos que podem fazer com que o seu projeto de pesquisa para ingresso em um curso de mestrado possa vir a ser aprovado. Um projeto de pesquisa perpassa por uma série de mudanças, porém, já no processo seletivo para ingresso nessa universidade, a apresentação do projeto é obrigatória. De antemão, precisamos deixar claro que este é um assunto que gera sempre bastante polêmica. Diversas pessoas que passam por esse processo ficam apavoradas e se questionam acerca do que devem fazer para que esse projeto seja aprovado. A primeira coisa que você precisa manter em mente nesse momento inicial é: esqueça o projeto geral, ele não é o foco. Cada instituição de ensino possui um tipo de projeto muito específico. Diante dessas particularidades, o projeto submetido em um programa específico irá servir apenas para esse processo seletivo específico.

Posso usar um mesmo projeto em processos seletivos diferentes?

Dificilmente você irá conseguir submeter um mesmo projeto de pesquisa a instituições diferentes, pois cada uma possui os seus próprios requisitos e exigências. Há pessoas que perdem noites pensando no projeto que podem escrever sem ao menos terem uma instituição em mente. Ao invés disso, há outros pressupostos muito mais interessantes que são capazes de garantir a sua aprovação nesse processo seletivo específico. Aspectos como a instituição de ensino da qual você deseja fazer parte, a linha de pesquisa, quem você deseja como orientador, como ocorre a entrevista, quais são os interesses desse programa são alguns dos fatores sobre os quais devemos pensar antes mesmo de começarmos a escrever o nosso projeto de pesquisa. Por exemplo, suponhamos que você tenha interesse na área de letramento, apenas aqueles programas específicos nessa área propiciarão que você possa vir a ingressar na instituição.

Exemplo prático de como procurar uma instituição específicaExemplo prático de como procurar uma instituição específica

Ainda levando em consideração o nosso exemplo, suponhamos que o pesquisador deseje pensar nas questões de letramento relacionadas à área da matemática, é primordial que o programa escolhido esteja ligado a esses dois aspectos: matemática e letramento. Se o seu foco for em outra perspectiva do letramento, precisará procurar por uma universidade que esteja mais alinhada com os seus interesses de pesquisa. Tome cuidado, pois nem sempre os nossos interesses estão alinhados com os da instituição/orientador que desejamos. Conhecer esse programa, as suas linhas de pesquisa, os seus orientadores e grupos de estudo é primordial. Esses aspectos são mais decisivos que o próprio projeto de pesquisa. Para que as discussões fiquem mais direcionadas, selecionamos alguns exemplos de cursos de mestrado que ainda estão com as inscrições abertas. Nesse final de ano, ocorre a maior parte das seleções.

Datas comuns dos processos seletivosDatas comuns dos processos seletivos

Cada instituição possui seus prazos, mas, em geral, em dezembro, não ocorrem tantos processos seletivos. O mais comum é que esse processo seletivo tenha início por volta de setembro e outubro, mesmo que sejam apenas as inscrições. As etapas costumam ser realizadas entre novembro e dezembro, salvo as exceções. Como, em geral, as novas turmas começam a ter aulas entre fevereiro e março, o processo seletivo e a divulgação do resultado final ocorre antes. Diante disso, selecionamos alguns exemplos das universidades que ainda possuem os editais em aberto. O seu interesse é fundamental nesse processo de escolha. Se o seu interesse é atuar como professor na educação superior ou se o seu interesse é promoção de carreira, os mestrados acadêmicos serão mais benéficos. Todavia, verifique se esse curso é reconhecido pela CAPES. Para ter acesso a essa informação, basta acessar o site da CAPES.

Como descobrir se um curso é reconhecido?

Para saber se esse curso/instituição são reconhecidos pela CAPES, basta fazer uma busca simples em seu próprio site. No próprio Google, basta digitar “Plataforma Sucupira” e clicar no primeiro link. Na página inicial, logo de cara, você irá se deparar com a aba “cursos avaliados e reconhecidos”. Clique nela. Para saber quais são esses cursos avaliados e reconhecidos, pode selecionar alguns filtros de pesquisa para otimizar os resultados. Por meio da busca avançada, você consegue verificar se o programa no qual deseja ingressar é validado, logo, reconhecido. Esse reconhecimento implica dizer que o curso é regulamentado e autorizado pela CAPES. Selecionamos três instituições de renome para conversarmos hoje. Em primeiro lugar, temos a Faculdade Getúlio Vargas, ou, como é mais conhecida, FGV. É interessante que você digite o nome da universidade na busca da CAPES da mesma forma que aparece em seu site oficial.

Afunilando a busca no site da CAPES

Para que os resultados apareçam de uma forma mais fluida, você pode selecionar os cursos reconhecidos de uma região específica. No caso da FGV, ela faz parte da região sudeste. Após selecionar a região, o sistema irá requerer que você escolha o estado. No caso desta, é São Paulo. No site da CAPES, a FGV se encontra registrada como “Escola de Administração de Empresas de São Paulo – EASP/FGV”. Com base na tabela, percebemos que a FGV, atualmente, oferece um curso de mestrado. Ele volta-se à área da administração e foi intitulado de “Gestão e políticas públicas”. Atenção, não se esqueça de verificar as linhas de pesquisa. No caso desse curso, trata-se de um mestrado profissional. Quando você clicar no nome do programa, irá se deparar com uma série de informações importantes sobre o curso, como o formato, a duração e a situação do curso (dentre outras questões). Assim, você sabe se ele é reconhecido ou não.

Cuidados ao selecionar uma instituição

Optamos por apresentar os exemplos com base nas instituições de renome para que você saiba quais cuidados devem ser tomados ao pesquisar por qualquer instituição que oferece cursos de mestrado e doutorado stricto sensu, sejam eles acadêmicos ou profissionais. Estamos apresentando esse passo a passo, pois, como se trata de linguagem computacional, precisamos lidar com ela da melhor forma para obtermos as informações devidas. A fim de que vejamos todas as nossas possibilidades de cursos e ambientes acadêmicos, precisamos entender essa linguagem. A fim de que esses cuidados fiquem mais claros, iremos ajudar você a interpretar os dados dos sites dessas instituições. Começaremos com a FGV. Lá, há a linha de pesquisa intitulada de “Gestão para a Competitividade”. Para saber como funciona o curso, há uma espécie de manual disponível para a consulta.

O que analisar em uma instituição?O que analisar em uma instituição?

Todo programa possui um edital. Ele, na verdade, é uma exigência para que essas instituições possam oferecer seus cursos.  A CAPES exige que as instituições façam esses editais e eles precisam ser públicos. Todos devem ter acesso fácil e rápido a esse edital. Algo essencial que você encontrará no site da universidade e no próprio edital são as linhas de pesquisa. No caso desse programa, tem-se: gestão em saúde, gestão de supply chain, tecnologia da informação, varejo, sustentabilidade, finanças e controladoria e gestão de pessoas. Se você clicar em qualquer uma dessas linhas de pesquisa no ícone de “saiba mais”, terá acesso a uma série de informações decisivas, como frequência e horários do curso, duração do curso, título concedido ao final, caso o trabalho seja aprovado, coordenação e área do conhecimento. Há, também, o edital. Aprender a manuseá-lo é o primeiro passo.

Analisando o edital

É o edital o principal mecanismo que irá lhe fornecer todas as diretrizes para o ingresso no programa que você está pleiteando. Para saber se há especificações sobre o projeto no edital que está consultando, baixe o arquivo, abra-o e na barra de busca digite e pesquise “projeto de pesquisa”. Além disso, o edital da FGV apresenta dados gerais sobre o curso, as condições para ingresso, as vagas e inscrições, critérios de seleção, como acontecerão as entrevistas, os critérios que irão definir os candidatos aprovados, a matrícula, o investimento, cancelamento da matrícula e disposições finais. Há, além disso, alguns anexos, que, na verdade, são documentos para as diversas etapas, sobretudo modelos de requerimentos, quadro de vagas, dentre outras questões. Os editais são muito claros, então você entenderá como funciona esse programa, a gratuidade e outras questões que, de algum modo, podem gerar dúvidas.

A quantidade de vagas e outras questõesA quantidade de vagas e outras questões

É sempre muito importante verificar a quantidade de vagas ofertadas. No caso da FGV, o programa oferece um total de duzentas e dez vagas, divididas em turmas. O ingresso apenas se dá caso formem-se turmas definidas, mediante edital, não havendo qualquer tipo de regime de reserva de vagas para ingresso por outros meios que não esse processo seletivo específico. Em relação à inscrição, em geral, menciona-se a data de início e término, bem como o horário inicial e final, bem como dispõe-se sobre os documentos a serem apresentados à comissão avaliadora. Dados sobre o valor da taxa e como se dará esse processo de pagamento também são informações importantes que você precisará avaliar. Atenção aos documentos: Currículo VITAE, se necessário, formulário de requerimento de nome social, laudo médico para candidatos com deficiência, dentre outras questões.

Por que algumas instituições pedem o Currículo Vitae?

Como temos destacado, em geral, apresentamos nosso Lattes, que é um currículo acadêmico, porém, no caso da FGV, que tem inclinação profissional, há a preferência pelo currículo profissional, porém, essa não é uma regra. Essa estrutura muito nos revela que a FGV espera por pessoas com uma experiência de mercado comprovada. Menciona-se no edital, inclusive, que o candidato deverá oferecer a maior quantidade possível de informações sobre toda a sua trajetória profissional. Como é o público de mercado, entende-se que a análise do Lattes pode não ser tão vantajosa quanto a do currículo profissional, já que essas pessoas estão mais engajadas com o contexto profissional do que com as reflexões teóricas-filosóficas, pouco práticas. Como o Lattes é voltado para o público acadêmico, é pouco comum que esse currículo seja conhecido pelas pessoas com esse tipo de interesse.

Como os documentos costumam ser apresentados?

Tudo irá depender das regras da instituição que está pleiteando. No caso da FGV, os documentos devem ser digitalizados e enviados no formato PDF. Você perceberá que dentre todas as especificações da FGV, o Lattes sequer é mencionado, porque não é tão relevante nos processos seletivos de cursos profissionais, porém, essa não é uma regra definitiva, em outros processos, mesmo que de cursos profissionais, em algum momento, poderá ser requerido. Para que essas discussões fiquem ainda mais claras, iremos usar o processo seletivo da PUC São Paulo como exemplo. Mesmo que o processo seletivo de lá já tenha sido encerrado, há algumas informações interessantes que podem te nortear durante essa fase tão decisiva. No site da PUC, mesmo sem acessar o edital, você conseguirá ter acesso a informações valiosas e que podem tornar esse processo de busca e seleção de uma universidade/curso mais tranquilo.

Características do processo seletivo da PUC

No caso do processo seletivo da PUC, o edital fica disponível online apenas durante o período de inscrição. Contudo, se você quiser se preparar ao longo do ano, antes que o processo seletivo seja aberto novamente, é possível. Há dados sobre o funcionamento geral do processo seletivo, sobre como será feita a entrevista, quais são as linhas de pesquisa e os professores que fazem parte de cada uma delas, indica-se as regras para a elaboração do pré-projeto de pesquisa e apresenta-se informações para aqueles alunos que desejam inscrever-se como alunos especiais. Sobre o pré-projeto, exige-se alguns pontos cruciais: o título, o problema de pesquisa, o objetivo, a justificativa, a metodologia e a bibliografia. Em relação ao edital, eles podem ter mais ou menos páginas. Tudo irá depender de como a universidade atua.

Não há a indicação quanto a quantidade de páginas permitidas. Algo interessante, também, é a análise das linhas de pesquisa. No ícone de “áreas de concentração” você consegue ter acesso a essa informação. Analise os professores que mais lhe interessam e entre em contato via e-mail, e, se possível, marque uma reunião. A PUC é uma instituição com uma inclinação mais acadêmica, então analise se você tem interesse nesse tipo de abordagem para que não se frustre. Assim, é provável que, no processo seletivo, você tenha que apresentar o pré-projeto de pesquisa e o Lattes. É sempre muito importante que você atenha-se ao prazo de inscrição para o processo seletivo em questão, bem como para a matrícula, pois, dessa forma, você consegue se organizar para cumprir os créditos desse curso de modo mais tranquilo.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui