Como Ingressar no Mestrado Em Faculdades, Especialmente Nas Universidades Públicas?

0

Compreendendo o cenário da pós-graduação brasileira: entendendo as variáveis que devo levar em consideração ao ingressar em uma universidade pública

Pós-Graduação

Olá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos conversar sobre as variáveis que você deve levar em consideração para ingressar em uma universidade pública e realizar um curso de mestrado. A primeira coisa que precisamos destacar é que o ingresso em uma instituição desse tipo pode estar ligado a uma instituição municipal, estadual ou federal. Há uma dinâmica que você deve considerar. Trabalharemos com a seguinte questão norteadora: submeti-me a um processo seletivo entre o fim de dois mil e vinte e início de dois mil e vinte e um, mas não obtive sucesso, apesar de ter chegado até a etapa da entrevista; sou professor no interior do estado do Maranhão e não tenho acesso a programas de iniciação científica e/ou de extensão; pretendo fazer Mestrado em Letras, mas a mesma universidade oferece um curso de pós-graduação lato sensu que também é interessante, qual das alternativas traz mais subsídios à carreira?

Conhecendo as características das instituições de ensino públicas

Instituições

Antes de compreendermos esse cenário, é preciso que os elementos que caracterizam as instituições municipais, estaduais e federais fiquem claros. Além disso, a depender da instância em que você estiver, lidará com uma dinâmica bastante diferente. Essa dinâmica também é bastante diferente da lógica das faculdades privadas. Nas instituições públicas, geralmente, os professores selecionam alguns alunos para que desde o momento da graduação tenham contato com a pesquisa. Esses alunos ingressam em um grupo de pesquisa e uma vez dentro dele passam a receber uma espécie de pré-orientação, o que pode os favorecer e impulsionar a entrar em programa de mestrado ou doutorado. Contudo, você deve analisar o número de vagas que o professor possui para que conheça as suas reais chances de ser orientado pelo professor que escolheu.

A quantidade de alunos que os professores orientam

Nas universidades públicas, sejam elas municipais, estaduais ou federais, os professores podem orientar uma quantidade específica de alunos. Por exemplo, na hipótese do seu professor possuir cinco vagas, a seleção se torna ainda mais rígida, pois eles irão selecionar pessoas que se enquadram no perfil de alunos que buscam. Buscam alunos comprometidos com a pesquisa e engajados com as atividades acadêmicas. Espera-se que os alunos escrevam bastante, uma vez que a pós-graduação é alimentada com novas produções a cada dia. Os alunos e professores engajados conseguem fomento e parcerias para que realizem as atividades de pesquisa de forma financiada. Na medida que esses alunos produzem, podem receber bolsas de pesquisa. Além disso, o volume de produções produzidas nas instituições públicas é maior que nas privadas.

A lógica de uma instituição pública

O volume de produção é massivo nesses espaços porque o tempo e a dedicação em que esse aluno terá que se doar a essas atividades é muito grande. Assim sendo, se você possui pessoas que são dependentes de você (a família, sobretudo filhos) ou se está inserido em uma outra dinâmica, poderá levar um tempo para que se adapte a essa nova rotina de pesquisa. o processo é complexo, porque a dedicação é algo que será cobrada de você o tempo todo. A seleção dos alunos, portanto, é rigorosa, visto que os professores irão escolher aqueles alunos que podem dar conta de manter esse ritmo massivo de produção de novos materiais. Dito isso, iremos apresentar algumas dicas. Por exemplo, você pode ingressar em um curso lato sensu para conhecer esse ambiente, tanto para conhecer os professores quanto para entender um pouco as atividades acadêmicas que serão exigidas.

O lato sensu e as suas características

Ao optar pelo ingresso em um programa lato sensu, mesmo que seja ofertado pela instituição em que deseja fazer o stricto sensu, pode ser que os professores que estão ali não sejam os mesmos que você encontrará no mestrado. Entretanto, algo que recomendamos é que você crie um certo vínculo com os professores dessa instituição, especialmente se você não é um aluno da casa. O mais certo é você se ligar a um ou dois professores que fazem parte desse programa que deseja ingressar para que, de certa forma, seja acolhido. Você pode tanto ingressar logo de cara nesse programa ou, ainda, pode começar a construir esse vínculo fazendo parte de um grupo de pesquisa, inclusive para entender como esse professor costuma trabalhar. Frequentar as aulas desse professor como aluno especial também é algo que pode lhe ajudar. Alguns cuidados devem ser tomados.

Como ingressar como aluno especial?

Ingressar aluno especial

Em primeiro lugar, veja quem são esses professores e analise os últimos editais para analisar a quantidade de vagas. Na sequência, mande um e-mail para os professores que lhe chamaram a atenção. Antes disso, acreditamos que há uma etapa essencial: analise o currículo Lattes desses professores que chamaram a sua atenção. Esse interesse não pode ser apenas porque esse professor possui renome. É fundamental que você entre em contato com professores que fazem parte de uma linha de pesquisa com a qual você quer trabalhar. Se não houver uma equivalência entre os seus interesses e o desse professor, tanto o processo de ingresso quanto de permanência nesse programa (caso seja aprovado) será bastante doloroso e frustrante. É preciso saber quem são os professores que podem lhe orientar e se a linha de pesquisa é, de fato, interessante pra você nesse momento.

A importância do diálogo com o possível orientador

Orientador

Feita essa seleção, é muito importante que você comece a construir um vínculo com o professor escolhido. Enviar e-mails, demonstrar interesse, marcar reuniões são passos importantes para que esse vínculo seja forte. É necessário que você saiba se ele tem interesse em lhe orientar, se há um grupo de pesquisa do qual você pode fazer parte e se você pode fazer disciplinas como aluno especial. À medida em que o professor for te respondendo, ele passará a depositar mais confiança em você, ampliando as suas possibilidades, como a atuação como voluntário. Na maior parte das vezes você se insere nesse novo contexto como aluno especial, mas pode auxiliar esse professor em algumas atividades. O ingresso como aluno especial depende desse contato prévio com o professor. Acompanhe os editais para saber se há vagas para alunos especiais naquele momento.

Editais para alunos especiais

Os alunos especiais também passam por um processo seletivo. Cada instituição tem as suas próprias exigências. Contudo, mesmo que haja vagas disponíveis, o professor que oferta a disciplina que deseja fazer precisa lhe aceitar. É preciso entrar no site da instituição quase todos os dias porque essas informações não costumam ser tão divulgadas, tendo uma circulação um tanto restrita. Os editais voltados aos alunos especiais, hoje, são poucos. Há casos em que um edital sai em um dia específico da semana à noite e o prazo para a inscrição era em dois dias. É um período muito curto para tentar negociar com o professor responsável pela disciplina. Entretanto, agindo de forma estratégica, você conseguirá ingressar como aluno especial. Após esse ingresso, você irá frequentar essa disciplina específica ofertada pelo professor que deseja ter como orientador. A duração é de um semestre.

Atividades como aluno especial

Você irá fazer uma série de leituras e atividades propostas pela disciplina. Um material final será requerido pelo professor, sendo que esse pode ser um relatório, um fichamento ou um artigo científico. No caso de um artigo científico, ele pode ser publicado depois. Esse é o momento perfeito para você demonstrar ao professor o seu interesse em trabalhar com ele e o seu engajamento com a pesquisa científica. É nesse período que ele irá lhe conhecer enquanto aluno e pesquisador. Avaliará se os seus interesses de pesquisa são equivalentes aos dele. Irá avaliar se você tem perfil acadêmico e se tem interesse em produzir textos. Retomando a nossa questão inicial de pesquisa, no caso de professores que trabalham no interior, há programas interessantes voltados à carreira docente, que são os Prof ‘s. Você não precisaria passar por esse processo caso opte por realizar um curso desse tipo.

Os programas Prof’s e as suas características

Esses programas são gratuitos. Eles nascem de parcerias que são feitas pelas próprias universidades. A oferta de vagas é muito maior, visto que visa contemplar a maior parte dos professores interessados em uma especialização. O programa é tão amplo que envolve uma série de instituições para que esses professores sejam capacitados, envolvendo, inclusive, universidades de países diversos da América Latina. Acreditamos que os programas voltados para a prática docente são excelentes, pois as disciplinas e as atividades visam beneficiar pesquisadores com esse perfil, que estão dentro das nossas salas de aula. O produto final almejado nesses cursos é o desenvolvimento de trabalhos que possam contribuir para com o aperfeiçoamento da prática docente. Pode-se desenvolver algum produto voltado especificamente à disciplina que você seleciona em seu dia a dia docente.

A atuação como voluntário

A depender da disponibilidade do professor e do interesse dele em você, poderá lhe convidar para auxiliá-lo. Algo que você deve saber, também, é que todas as atividades que você irá desenvolver como voluntário irão perpassar pela linha de pesquisa desse professor. Aquilo que esse professor está investigando nesse momento, por consequência, acabará sendo o seu interesse de pesquisa caso opte por trabalhar com ele. Por exemplo, um professor que investiga emoções, sentimentos e sensações, irá trabalhar com autores muito específicos, voltados a uma certa linha de raciocínio. Você acabará trabalhando com a mesma perspectiva teórica que o seu orientador, sobretudo se resolver fazer um mestrado e/ou doutorado com ele. Os seus trabalhos, por consequência, sejam os mais extensos ou mais curtos, irão perpassar pelas ideias desse conjunto de autores com os quais o seu professor costuma trabalhar.

Os interesses em um grupo de pesquisa

Grupo de pesquisa

Os pesquisadores que fazem parte de um mesmo grupo de pesquisa precisam fazer com que os seus interesses e os seus trabalhos, frutos desses interesses, caminhem de forma homogênea, pois são esses trabalhos que irão caracterizar esse grupo de pesquisa em específico. Até mesmo para os pesquisadores que em um outro momento já trabalhavam com os autores que são de interesse do professor podem ter que adaptar o seu objeto/perspectiva teórica com a do professor, visto que a linha de pesquisa com a qual ele trabalha pede por essas adaptações. Em relação ao trabalho voluntário, a partir do momento em que esse professor lhe chama, poderá desempenhar uma série de atividades diversificadas. Pode ser, por exemplo, que o professor queira conhecer de perto o seu comprometimento com a pesquisa e como costuma trabalhar ou pode ingressar como aluno especial para saber como o professor trabalha.

As atividades acadêmicas de um mestrado e cuidados básicos

Como temos ressaltado ao longo dos nossos posts, o grau de comprometimento do pesquisador com a leitura e a escrita em um mestrado será cobrado, de modo que essa leitura deverá ser feita de forma muito profunda e detalhada. Diariamente, os pesquisadores devem ler tanto artigos científicos quanto outros tipos de fontes, como livros, dissertações, teses e afins a fim de que as suas pesquisas possam ser desenvolvidas. Os professores mandam esses materiais para os alunos lerem justamente para que mensurem se esse aluno consegue absorver o conteúdo, bem como se consegue tratar essas informações de forma científica, que é o grande objetivo dos trabalhos acadêmicos. Analisa-se, ainda, se o pesquisador é capaz de lidar com as múltiplas demandas acadêmicas. Tenha claro em mente se você se identifica com o programa.

A fim de que você possa integrar-se nesse contexto de uma forma mais benéfica, recomendamos que você faça parte de um grupo de pesquisa, que leia os materiais indicados para as reuniões e que participe como aluno especial das disciplinas. Atenção: geralmente, as instituições de ensino realizam primeiramente o processo seletivo para o ingresso comum nos mestrados e doutorados. Na sequência, lança o edital destinado aos alunos especiais. Atenha-se, também, ao fato de que as vagas para cursar essas disciplinas são poucas. É fundamental que você conheça esse professor: verifique a linha de pesquisa na qual ele se insere, análise o Lattes e as produções publicadas e orientadas por esse professor, dentre outros cuidados. Esse processo de análise é essencial para que você evite frustrações no futuro. Pesquise bastante.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui