Revistas científicas brasileiras

0
Avalie!

Fazer as perguntas certas para alcançar as pessoas certas com meu materialFazer as perguntas certas para alcançar as pessoas certas com meu material

Olá, tudo bem? Temos conversado, de forma profunda e ampla, sobre a produção científica brasileira já há algum tempo. Nos atentamos desde as questões voltadas à estrutura e a burocracia da publicação desses materiais até as questões de cunho mais subjetivo, político e filosófico. Discutimos inclusive sobre o que dá vida às nossas revistas científicas, o tão comentado e polêmico Qualis, conversamos também sobre as polêmicas em relação àquela classificação prévia que saiu esse ano. Entretanto, hoje quero te colocar uma nova questão para refletirmos juntos: agora que você já sabe sobre a importância de se publicar um artigo; sobre como escolher o seu público-alvo; como não cair em uma cilada; como procurar por materiais para embasar o seu texto, onde é que você deve procurar pelas revistas científicas do nosso Brasil? Essa é uma das questões que irá guiar a nossa discussão de hoje. Não se esqueça: sempre que você for publicar o seu artigo, questione a revista científica com a qual você deseja colaborar.

Quem estou tentando atingir ao fornecer o meu material?Quem estou tentando atingir ao fornecer o meu material?

Leve em consideração que antes de pensar em onde publicar o seu material científico, é importante você pensar: a quem devo e quero atingir com as minhas contribuições? Mesmo tendo um público em mente não se esqueça: é o seu papel contribuir para com a universalização do conhecimento, é apenas dessa forma que o acesso ao conhecimento se dará de forma menos fragmentada e mais democrática, como desejamos. É importante que você se proponha a refletir sobre problemas reais da sociedade. A ciência apenas faz sentido quando experienciada por algum grupo de forma positiva. É por isso que pesquisamos. Contudo, para que essas pessoas sejam atingidas com conhecimento ofertado de forma segura e confiável, é necessário que haja de fato uma universalização do conhecimento. As mídias sociais podem contribuir bastante para redimensionar esses usuários da internet aos sites das bases de dados e das revistas. Precisamos atingir principalmente os que se encontram fora da academia.

Questione as revistas científicasQuestione as revistas científicas

Um dos maiores desafios da produção científica brasileira atual é entender onde se localizam essas revistas brasileiras que aceitam os materiais científicos para publicação. Não se esqueça jamais, daquelas perguntas básicas que devemos fazer. Pergunte enfaticamente sobre os meios de divulgação desse material. Vivemos em um mundo totalmente tecnológico e inovador, assim, divulgar esses materiais por meio das mídias sociais é uma estratégia bastante eficiente, visto que as mais diversas pessoas, sejam elas acadêmicas ou não, acompanham as informações sobre os mais variados temas nas mídias sociais. É preciso que as revistas científicas utilizem esse universo a seu favor, visto que essas plataformas são capazes de visibilizar mais ainda o trabalho dos autores. Claro, é importante que esses acessem as bases de dados, ou, diretamente, os sites dessas revistas, mas é importante também que esses materiais sejam divulgados em outras plataformas, porque não necessariamente todos sabem utilizar essas bases de dados e muitos desconhecem esses sites das revistas científicas.

A plataforma OJS e as suas dificuldades

Atualmente, em nosso país contamos com uma imensidão de revistas científicas que têm vida a partir da atribuição de um Qualis. Contudo, grande parte delas encontra-se em uma plataforma denominada de OJS. Essa plataforma tem uma falha: diferente de outras bases de dados, ela não é indexada, e isso não é interessante para aqueles que querem e/ou precisam publicar os seus materiais, seja porque desejam contribuir para com a sociedade e o meio acadêmico, seja porque precisam cumprir os créditos estabelecidos pelos programas de pós-graduação. O que quero dizer quando afirmo que essa plataforma não é indexada por si só é o mesmo que afirmar que ela não é lida por si só. Dessa forma, se a revista não faz uso de outros mecanismos de divulgação, ela certamente não terá um grande impacto. É preciso, para reverter essa situação, o investimento em mídias sociais e parcerias com outras bases de dados, como a Scielo.

Como funciona a plataforma OJS?

O Open Journal Systems (ou simplesmente OJS) é uma ferramenta voltada ao gerenciamento e publicação de revistas eletrônicas. Ele foi desenvolvido pelo Public Knowledge Project (PKP). No Brasil, foi originalmente traduzido pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), veiculado pelo Ministério da Ciência e da Tecnologia (MCT). Ele foi recomendado pela CAPES e bem aceito pelos editores científicos das revistas brasileiras. Costumava no Brasil ser divulgado como Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas, porém, a partir da sua terceira versão, passou a usar o nome que é reconhecido internacionalmente: OJS.

Principais funções do OJS

Dentre as principais opções do sistema estão o fato de que é um software que pode ser instalado e gerenciado de forma local ou por meio dos conhecidos “Periódicos em Nuvens” que fornece mais liberdade aos editores; são os editores que configuram os requisitos, seções, processos de revisão, etc.; a submissão é feita de forma online pelos autores; o suporte e revisão são feitos à cega e dupla cega pelos pares; favorece o gerenciamento dos sites de revistas; possibilita a indexação do conteúdo e de mecanismos de busca; apresenta notificações via e-mail e sistema, sobre os comentários e sugestões a serem considerados; oferece um sistema de ajuda online; conta com um suporte exclusivo para assinantes e com outras diversas funcionalidades extras que podem ser acionadas com plugins.

Dinâmica das revistas científicas brasileiras

Dificilmente o conteúdo dos materiais vinculados pela OJS serão encontrados, sobretudo porque os seus conteúdos se encontram no formato PDF. Dessa forma, quando você me pergunta “mas afinal, onde se encontram as revistas brasileiras?” muitas respostas se tornam possíveis. Assim sendo, quero explicar um pouquinho dessa dinâmica para que você conheça esse mundo das revistas e tire as suas próprias conclusões sobre onde procurar por elas. Geralmente, cada área do conhecimento possui a sua própria dinâmica. Cada área do conhecimento tem a sua lista de revistas com maior impacto. A partir delas você consegue compreender quais são essas revistas, como elas funcionam, com quais eixos temáticos trabalham, qual é seu perfil de público e de que forma divulga esse conhecimento que você deseja compartilhar. Não se esqueça de fazer aquelas perguntas sobre as quais conversamos antes de fornecer o material, independentemente do Qualis da revista.

Como encontrar esses materiaisComo encontrar esses materiais

De forma geral, no próprio site da revista na qual você deseja publicar o seu material há essas informações básicas que estamos chamando a sua atenção. Você encontra facilmente tópicos do tipo: objetivos da revista; história da revista; público-alvo da revista; titulação necessária; Qualis; corpo editorial; mídias sociais; normas para submissão; dentre outras informações importantes de serem consideradas antes de fornecer o seu material para publicação. Visite-nos em https://www.nucleodoconhecimento.com.br/ e tire as suas dúvidas. Voltando à nossa questão inicial, falamos que há dificuldades para que esses materiais sejam encontrados, ou seja, em muitas das vezes uma grande quantidade de conteúdos acaba não sendo acessada porque eles não se encontram indexados. É uma realidade que perturba grande parte das revistas científicas brasileiras. Procure na internet as revistas mais expressivas na sua área de atuação e acesse os sites para você conhecer a dinâmica dela, pois cada uma tem a sua.

A vantagem da Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do ConhecimentoA vantagem da Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento

A vantagem da Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento é que todo o seu conteúdo é organizado no formato Mega jornal, que é algo que tem sido exigido cada vez mais à nível nacional e internacional. Com isso, todo o material disponibilizado pela nossa revista é no formato HTML, isto é, o acesso de múltiplos leitores aos conhecimentos de nossa revista é feito de forma mais dinâmica, o que é vantajoso neste contexto moderno, pois a maioria das pessoas têm dificuldade para acessar os materiais fornecidos pelas bases de dados. Assim, queremos explicar um pouquinho sobre a dinâmica da revista. A cada conteúdo que publicamos, em aproximadamente dez minutos esses conteúdos se encontram disponíveis em toda a internet, o que democratiza e acessibiliza o conhecimento em grande escala. Isso faz com que haja uma participação mais ativa na ciência brasileira, pois não necessariamente pessoas acadêmicas acessarão esses materiais. Mescla-se finalmente os interesses da academia e da própria sociedade.

O cenário atual das revistas científicas

Mesmo que nós já estejamos viabilizando o conteúdo que chega até nós para outros lugares, principalmente nas mídias sociais, é um cenário que ainda precisa ser revertido, pois muitas das revistas científicas brasileiras não trabalham nesse modelo de Mega jornal. Isso não é um problema para nós, pois já nos adaptamos a esta demanda, entretanto, a maioria das revistas ainda precisam se adequar a esse modelo, para que o conhecimento seja democratizado e efetivamente expandido, como temos defendido até aqui. O processo de retirar esses materiais de um programa e mover para outro, embora atrativo, neste contexto, demanda bastante trabalho, o que pode desmotivar os editores científicos. É um processo bastante burocrático e existe principalmente a questão da adesão. 

É preciso uma mudança de postura para que esse modelo de Mega journal possa funcionar melhor, e assim, se popularizar. Não se engane, hoje não temos nenhuma plataforma aberta e de fácil acesso para que essas revistas sejam investigadas e participativas. Nós temos hoje, artigos com mais de dez anos de existência e com pouco acesso. Tudo depende da dinâmica da revista. Uma estratégia bastante eficiente para a divulgação desses materiais científicos é a adesão às redes sociais. Não se trata de uma substituição das revistas pelas redes, trata-se de uma rede colaborativa. Depois de feita essa publicação em uma revista devidamente indexada, ela pode investir na universalização desse conhecimento disponibilizando, por exemplo, formas pelas quais os leitores possam comentar os artigos que leem, tanto no site da própria revista quando em outras redes sociais da revista (Facebook, Instagram e Twitter, por exemplo).

Como funciona a Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento

A Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento tem orgulho em afirmar o compromisso de tornar democrático o acesso ao conhecimento com você que nos acompanha. Além de divulgarmos os materiais nas mídias sociais, cumprimos, de forma rigorosa, os critérios estabelecidos pela CAPES mediante as revistas científicas. Aceitamos materiais de todos aqueles que desejam contribuir com a comunidade acadêmica, desde graduandos e graduados até os mestres e doutores. Todos são bem-vindos. Aceitamos materiais como: artigos originais; artigos de revisão; ensaio teórico; revisão integrativa; estado da arte; revisão bibliométrica; resenha; resumos; entrevistas; comunicações; dissertações e teses. Os artigos (materiais enviados) devem ser inéditos e originais, e não podem estar sob avaliação em outro periódico. Os artigos devem ser encaminhados por fluxo contínuo à Revista (chamada aberta e permanente) através do sistema que se encontra na própria revista através do seguinte link: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/enviar-artigo-cientifico-para-submissao

Quais são os materiais publicáveis?

A Revista não tem por política a publicação de artigos não originais ou sem ineditismo, excetuando-se apenas os trabalhos em desenvolvimento (work in progress), já apresentados e discutidos em congressos científicos, mas cujo conteúdo apresente um grau de maturação superior ao que foi apresentado por ocasião dos congressos. A avaliação do ineditismo de trabalhos em desenvolvimento é realizada na primeira etapa da avaliação, pela equipe editorial da Revista. Não serão aceitas traduções de pesquisas estrangeiras já publicadas em outros idiomas. A Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento trata-se de uma Revista Científica Internacional, disponível em 7 idiomas e mais de 176 países. Em se tratando de pesquisa empírica envolvendo seres humanos, necessário se faz o atendimento das diretrizes dispostas nas Resoluções 196/96 e 466/12 do Conselho Nacional de Saúde e suas complementares, bem como a aprovação por Comitê de Ética em Pesquisa regularmente instituído. Publique conosco!

Os Mega journals

Para finalizarmos a nossa conversa de hoje, é necessário entender como funcionam os mega journals, visto que eles têm sido vistos como diferenciais na produção científica brasileira. Esse tipo de estrutura faz parte de revistas científicas que publicam uma quantidade expressiva de materiais a partir de um acesso aberto na internet. Isso faz com que mais pessoas consigam chegar até a esses materiais, havendo certa universalização, pois se atinge diversas pessoas com esses materiais. A Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento foi apontada como diferencial justamente por atuar dessa forma: a partir da sua caixa de comentários no próprio site, de seu canal no Youtube, de seu blog que conta com a publicação de textos sobre temas da academia bem como por meio das redes sociais nas quais divulgamos o conhecimento submetido para que mais pessoas os leiam.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui