Conhecendo As Formas De Citação: Citação Direta, Citação Indireta, Citação No Momento Da Introdução E Citação Em Figuras

0
5/5 - (1 vote)

Estratégias de citação na pesquisa científica: cuidados básicos que devo tomar no processo de elaboração de citações

Estratégias de citaçãoOlá, tudo bem? Em nosso post de hoje iremos retomar as nossas discussões sobre as formas corretas de citarmos os autores que irão balizar o nosso pensamento. Como sabemos, temos citações diretas e indiretas, sendo que desempenham funções diferentes em um texto científico. No caso da citação direta, o seu uso é recomendado quando não temos como objetivo mudar nenhuma das palavras colocadas pelo autor. Ela ganha uma formatação diferente a fim de que deixemos claro ao leitor que se trata de uma cópia integral de um outro lugar, sem qualquer inferência por parte do pesquisador. Já na citação indireta ocorre o contrário. Nos textos científicos, precisamos trazer uma visão nova sobre a temática que estamos apresentando, porém, não podemos recorrer aos achismos e ideias pessoais. Citamos, então, outros autores. Eles irão fornecer bases para que sustentemos a nossa visão de forma científica.

As formas de referenciação na pesquisa científica

Formas de referenciar na pesquisa científicaAgora que sabemos que existem as citações diretas e indiretas, iremos aprender como elas podem ser realocadas no texto de acordo com as normatizações vigentes. Para que essa discussão fique mais didática e prática, iremos partir de dois artigos a fim de que entendamos como os autores têm referenciado outros autores em seus textos. Essa questão surgiu da seguinte pergunta que nos foi colocada: como posso fazer para citar as fontes em figuras e tabelas e o que devo fazer quando elas são de minha própria autoria. Iremos apresentar todas as formas de referenciação antes de responder essa questão específica. Primeiramente, iremos apresentar um artigo científico que emprega de forma fácil de ser visualizada as citações diretas e indiretas. A primeira coisa que você irá observar é que no resumo temos um texto breve e corrido, sem qualquer tipo de citação.

Por que não há citações em um resumo?

Não é comum que sejam feitas citações em um resumo porque você irá fazer uma breve apresentação acerca do que você pretende com esse estudo em específico. Aspectos gerais sobre o seu artigo devem ficar claro ao leitor para que ele saiba o que esperar com essa leitura. O contexto, os objetivos, a pergunta-problema, a metodologia e alguns resultados são apresentados de forma breve e explorados um pouco mais na introdução. É no decorrer do texto, em que essas informações serão detalhadas, que o pesquisador começa a empregar as citações diretas e indiretas. Em alguns casos, pode ser que essas citações comecem a ser feitas logo na introdução, porém, na maior parte dos casos, elas aparecem nos demais capítulos. Essas citações costumam ser feitas quando as informações são muito precisas. No caso de nosso exemplo, as autoras se preocuparam mais com a apresentação geral do tema, sem citações.

O foco de uma introdução

A depender dos seus objetivos, a introdução pode ganhar tonalidades diferentes. No caso de nosso exemplo, as autoras optaram por esmiuçar a pergunta-problema junto aos objetivos, apresentando, ainda, um contexto geral sobre o tema de forma mais detalhada, sem concentração em conceitos e teorias, já que esse é o foco da fundamentação teórica. Assim sendo, começaram a empregar essas citações a partir do segundo capítulo, quando se propuseram a discutir sobre o conceito de sociedade e meio ambiente, a partir de uma dada perspectiva teórica. O primeiro parágrafo deste tópico introduz uma ideia a partir das noções de Marx. Entretanto, leram a obra e optaram por apresentar as suas próprias considerações sobre essas noções de Marx. A leitura da obra em questão foi feita, porém, nesse momento inicial, optaram pelo emprego de uma citação indireta, enfatizando as suas interpretações.

Citando o conhecimento que foi interpretado

Conhecimento interpretadoMesmo que apresentemos as nossas próprias considerações, é preciso que apontemos de onde esse conhecimento foi retirado. Esta técnica é a da citação indireta. As autoras apresentaram suas ideias sobre a leitura, citaram a fonte e continuaram com as suas reflexões sobre a obra de Marx citada. Entretanto, um pouco mais à frente, optaram por trazer um trecho da obra sem qualquer tipo de modificação. Temos, aí, a citação direta, que ganha uma formatação diferenciada justamente por se tratar de uma cópia. A formatação que ela ganharia seria um recuo de quatro centímetros, espaçamento simples e um tamanho de letra menor do que o do corpo do texto. Se esse texto estiver sendo escrito na fonte/tamanho Arial doze, precisará ser em Arial dez ou onze, a depender das normas de sua instituição/da revista. A citação que vem da sua compreensão e a que é uma cópia ganham registros diferentes.

Referenciando uma citação indireta e direta

Aquela citação que advém da sua própria compreensão da leitura deve ser registrada de uma forma diferente daquela que se trata de uma cópia. Contudo, a ideia será construída e desenvolvida com base nas ideias de autores específicos, que, portanto, devem ser mencionados, visto que esse conhecimento adveio dessa leitura. Bastará, nesse caso, mencionar o ou os autores (o último sobrenome), seguido do ano de publicação da obra (MARX, 1974). Entretanto, no caso de uma citação que se trata de uma cópia, a referenciação precisa ser mais completa. Além do recuo e dos demais elementos da formatação, menciona-se o sobrenome, seguido do ano de publicação e da página exata de onde foi retirada essa informação que está sendo copiada (MARX; ENGELS, 2008, p. 52). A cópia pode ser feita apenas quando você mencionar todos esses dados, pois, ao contrário, o seu texto será acusado de plágio.

Detalhando um pouco mais sobre as citações diretas e indiretas

Embora para muitos essa questão possa parecer bastante clara, ela ainda hoje suscita uma série de dúvidas. Assim sendo, sempre que você desejar fazer essa cópia, bastará apresentar dados mais completos que façam com que o leitor seja capaz de identificar de onde esse trecho foi copiado. No caso da indireta, o que importa é que ele saiba de onde a sua compreensão foi construída, bastando mencionar o autor e o ano da obra. A menção à página é algo obrigatório, mas, especialmente no caso de textos retirados de páginas da internet, você não conseguirá mencionar essa página. Há professores que pedem para que o aluno, nesse caso, indique essa ausência por meio da expressão s/p (ou s.p). Contudo, outros não pedem justamente por ser consensual que textos retirados da web não possuem páginas. Há, ainda, os autores que citam artigos da Constituição Federal e/ou de seus Códigos.

A citação da legislação

Como sabemos, certas áreas do conhecimento citam conhecimentos específicos, como é o caso do Direito, que cita artigos da legislação. Como ainda se trata de uma cópia, precisaremos realizar uma citação direta. Se este artigo possuir mais de três linhas, precisará de recuo. Antes do recuo você pode inserir os dados, apontando de onde esse dispositivo legal foi retirado (se é Constituição Federal ou algum de seus Códigos, o artigo, parágrafo, inciso e alínea, caso a lei em questão tenha). Identificando esses dados de maneira correta, você não precisará mencionar a página, visto que o que importa são os outros dados. Contudo, no caso de citações diretas de textos não jurídicos e que possuem páginas, a sua menção é obrigatória. Apenas páginas da web não possuem essas páginas. Os dados para a referenciação podem aparecer tanto antes da citação, sem caixa alta, ou após, em caixa alta. O autor pode escolher a forma.

As citações em áreas diferentes

Cada área possui a sua própria relação com as citações diretas e indiretas. No caso de textos da área jurídica, costumam fazer bastante uso de citações diretas. Isso decorre da própria dinâmica desta área em específico, visto que apresenta as leis propriamente ditas, assim como julgados (decisões), jurisprudências e posicionamentos dos doutrinadores. Assim sendo, é muito comum encontrar esse tipo de recurso de forma predominante, o que não ocorre com tanta frequência em outras áreas. Entretanto, uma outra dúvida nos foi colocada no início desta discussão: como citar tabelas e figuras, sejam elas de minha autoria ou da autoria de outros pesquisadores. Para isso, iremos partir de um outro tipo de artigo científico, em que os autores optaram pelo uso de recursos visuais para defenderem os seus temas de pesquisa. Os autores apresentaram um fluxograma de prisma que foi adaptado por eles mesmos.

Como citar uma figura que foi adaptada por mim?

No caso de nosso exemplo, quem formulou a figura específica do fluxograma foi o autor envolvido com a produção, embora existam, na literatura, outros modelos. A citação é bastante simples, visto que se trata de uma figura de sua autoria. Bastará indicar depois da apresentação da figura a fonte. Após escrever a palavra fonte, escreva “elaboração do autor”, seguido do ano em que esta figura foi elaborada, que, nesse caso, é dois mil e vinte e um. Há quem simplifique ainda mais esse processo escrevendo autor/autores, seguido, também, pelo ano. Contudo, há ainda, os casos em que os pesquisadores não mencionam o ano, já que a elaboração desse recurso visual em específico não foi feita em um único ano. Um quadro, por exemplo, pode ter sido feito no ano de dois mil e vinte, porém, até que essa pesquisa seja qualificada, pode haver um intervalo de tempo grande. Pode ser publicada dois ou três anos depois.

Especificidades de cada instituição

Especificidades de instituiçõesEssas técnicas que estamos apresentando não são uma regra, visto que cada instituição e revista possuem as suas próprias especificidades. No caso da nossa revista, recomendamos, aos nossos autores, que, ao longo do texto, sigam o esquema autor-data, de forma que, no corpo do texto, o autor e a data da obra utilizada devem ser mencionados em todos os tipos de citações. Ao observar esse texto, caso perceba que aparecem autores e anos sem a menção da página, pode ter certeza de que se trata de uma citação indireta. Esses autores podem ser mencionados tanto antes quanto após a interpretação do autor. Fica a critério do autor escolher um modelo e seguir até o fim com o mesmo. Significa que esses autores leram a obra em específico e a interpretaram, porém, essa ideia precisa resguardar a fonte que a suscitou. Assegura-se ao leitor que as informações foram retiradas de lugares científicos.

Compreendendo a lógica da citação indireta

Compreendendo a lógicaSempre que você se deparar com autores que apresentam um ou mais textos para embasar as suas ideias, estará em contato com uma citação indireta. Significa, ainda, que você está em contato com uma ideia interpretada e não com a noção original dos autores utilizados por esses pesquisadores em específico. Em algumas áreas do conhecimento, os autores optam por utilizar mais de um texto para apresentarem uma única apresentação. Geralmente, esses autores são separados pelo ponto e vírgula (;). Você estará atestando, com isso, que essa mesma informação foi compreendida de forma semelhante por todos esses autores que você optou por introduzir em uma única frase/parágrafo de seu texto. Contudo, esta é uma prática comum no texto corrido. No caso de recursos visuais, como tabelas, quadros, figuras e imagens, a citação ganha uma outra estrutura.

Identificando corretamente um elemento visual

Independentemente do recurso visual que está utilizando em seu texto, precisará seguir uma estrutura. Antes de apresentar esse recurso em específico, precisará criar uma legenda/título para ele. Além disso, caso o seu texto possua mais de um elemento visual da mesma categoria (mais de um quadro, por exemplo), eles precisarão ser enumerados de forma cronológica. Inserido esse nome, o elemento gráfico pode ser apresentado, e, logo após, temos a citação da fonte. Caso a fonte seja de sua autoria, insira a expressão “elaborado pelos autores”. O ano fica à cargo das preferências de seu orientador. As fontes próprias ganham formatos diferentes.

A elaboração própria pode acompanhar ou não o ano de elaboração. Pode-se mencionar apenas a expressão em questão. O que importa é deixar claro ao leitor que se trata de um elemento gráfico elaborado pelos autores, pois, dessa forma, saberão que este não foi retirado de nenhum outro lugar, que se trata de um elemento original. Antes de concluirmos, precisamos chamar a sua atenção quanto ao tópico das referências finais. Todos os materiais mencionados no corpo do texto deverão ser referenciados neste tópico em específico de forma completa, com todos os detalhes, que são específicos para cada formato de material científico utilizado. Não podemos acrescentar autores que não foram utilizados ou retirar um dos que o foram.

Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui