Desenvolvimento Humano

Atuação da Revista Núcleo do Conhecimento no Youtube

Na nossa conversa de hoje queremos apresentar para vocês os objetivos que fizeram com que o nosso canal do Youtube nascesse. É a partir desses objetivos que selecionamos as temáticas para as nossas conversas assim como é por meio dos comentários que deixam em nossos canais, ou seja, em nossas redes que montamos as nossas conversas ou as nossas aulas, como preferirem chamar. Tudo o que apresentamos a você sobre os artigos científicos, sobre os cursos de pós-graduação (stricto e latu sensu) no Brasil, o desenvolvimento da produção científica e sobre as formas de se produzir e executar uma pesquisa encontram-se localizados na Revista Científica Núcleo do Conhecimento.

O intuito de se fazer esses vídeos para o canal está ligado com a necessidade de falar sobre os procedimentos mais comuns dentro do contexto acadêmico que fazem com que as pessoas, mesmo depois de um tempo imersas neste contexto, ainda tenham dúvidas.

Pilares impulsionadores

Um dos pilares em manter o canal e postar os vídeos e os textos, é promover, a partir de comentários, o conhecimento para todos aqueles que estão interessados em conhecer como funciona o ambiente acadêmico bem como propomos reflexões sobre as mais diversas metodologias de pesquisa, uma vez que consideramos perfis distintos de pessoas para apresentar os vídeos. Um outro pilar que sustenta a nossa prática diária é que entendemos que, na sociedade contemporânea, é fundamental trabalhar em prol de um mundo onde as pessoas são mais conscientes acerca dos problemas que as circundam. Para isso, propomos reflexões sobre temáticas variadas.

Como essa desautomatização é feita, apenas, por meio do conhecimento, incentivamos, sobretudo, que os nossos inscritos e colaboradores publiquem mais e incentivem aqueles que estão ao seu redor a publicar também, sobretudo em revistas brasileiras, para alavancar a nossa produção.

A importância da circulação do conhecimento

Entendemos que diante deste contexto onde informações errôneas circulam, massivamente, é indispensável que as revistas contribuam para com a divulgação de informações com qualidade a partir da prática da leitura e publicação de artigos científicos. Defendemos, principalmente, que todos nós, seja em situação de graduação, pós-graduação e afins, que tornemos esse conhecimento mais acessível para todos para que, juntos, possamos combater a circulação de informações erradas sobre o mundo que nos circunda.

É algo que ainda falta em nosso país, visto que ainda é preciso que haja uma maior flexibilização em relação ao acesso a esses artigos. Foi por conta dessa problemática que decidimos aderir ao canal no Youtube para fazer com que esse conhecimento circule com mais facilidade e atinja, dessa forma, uma maior quantidade de pessoas que estão imersas ou não neste contexto acadêmico.

Acessibilizando o conhecimento

Partimos, também, em defesa da construção de uma cultura onde os alunos e demais pesquisadores vejam a publicação como algo prazeroso, ou seja, como algo que pode contribuir e salvar vidas e não mais como uma mera obrigação/exigência da academia. Defendemos, também, que é preciso que haja uma maior flexibilização em relação à publicação desses materiais, todos precisam ter o mesmo acesso para que este preconceito de que apenas mestres e doutores podem publicar seja, ao menos, amenizado.

Todos devem ter o igual direito de publicar os seus artigos, seja você professor, mestre, doutor, aluno de graduação, funcionário, etc. Todos nós podemos contribuir para com a circulação do conhecimento em nosso país. Defendemos, também, a necessidade da globalização do conhecimento.

Com esses vídeos e textos queremos evidenciar que o nosso conhecimento precisa circular, ou seja, ser transmitido para que a sociedade não se estagne.

Nesse contexto, propomos o canal do Youtube para que você participe, ativamente, desse processo de globalização do conhecimento na internet. Assim, incentivamos que deixem comentários negativos e positivos sobre a condução de um determinado tema bem como que você sugira novos temas para conversarmos e discutirmos para fazer com que o conhecimento que adquirimos, na academia, não permaneça apenas conosco.

É em virtude disso que nós começamos a propor discussões a partir das dúvidas deixadas nos comentários para que outras perspectivas, dúvidas e sugestões além das nossas sejam trazidas para o canal para a realização de uma reflexão a partir de temas de interesses apontados por aqueles que nos acompanham.

Promover o conhecimento é fundamental!

Não basta acessibilizar o conhecimento a partir do levantamento de temas pertinentes apenas à revista.

Para isso, defendemos a necessidade dos vídeos serem feitos a partir das suas indagações e sugestões para que o papel social do canal seja cumprido: a globalização efetiva do conhecimento em diversas plataformas (como o Youtube, o Facebook, o próprio site da revista e o blog). Defendemos, aqui, a partir dos vídeos, tanto a leitura dos materiais científicos quanto a sua publicação, oferecendo, para isso, passos para que um artigo seja produzido e em quais circunstâncias.

Acreditamos que o processo de construção do conhecimento deve incentivar e instigar o pesquisador a divulgar e a conhecer mais sobre o que o motiva a pensar, questionar e refletir, sendo, para tanto, fundamental o seu feedback para que consigamos, juntos, pensar nas melhores temáticas para discutirmos e pensarmos o mundo acadêmico e a sua configuração, seja para apontar elementos positivos ou negativos.

O papel dos inscritos no canal

Queremos incentivar você a colocar para fora tudo aquilo que você aprendeu durante o processo da pesquisa, pois você pode incentivar outros a mergulharem, profundamente, neste mundo do fazer científico, visto que você é um elemento chave para que o conhecimento chegue até outras pessoas. É por isso que defendemos a importância da publicação para que o conhecimento se torne, cada vez mais, acessível a todo e qualquer tipo de público.

É preciso atingir as pessoas com a sua pesquisa, entretanto, isso apenas pode ser feito quando nos permitimos que esse conhecimento circule. Pensar no papel dos inscritos neste processo é fundamental, pois aderimos a corrente teórica e filosófica do desenvolvimento humano que entende que é possível abordar, de forma multidisciplinar, os mais diversos assuntos ligados ao desenvolvimento humano. A pesquisa científica é uma dessas linhas com quem podemos trabalhar e apresentar temáticas para discussões a você.

Em defesa do desenvolvimento humano

A temática do desenvolvimento humano permite que nós enxerguemos o indivíduo de forma global, ou seja, multidisciplinar e ampla. É por isso que aqui, em nosso canal, transitamos entre as mais diversas temáticas. Essa corrente teórica e filosófica nos permite observar a sociedade como um todo e não mais de forma fragmentada, ou seja, a partir de uma única abordagem. A perspectiva do desenvolvimento permite que nós caminhemos de forma interdisciplinar e multidisciplinar.

Assim, para que nós entendamos este processo, é necessário que nós nos apoiemos em fontes diversas para produzir o nosso conhecimento bem como para fazer circular, é por isso que há este trânsito entre temáticas em nossos vídeos. Esse desenvolvimento pode ser compreendido a partir de três formas: a física, a cognitiva e a psicossocial.

Em uma abordagem física entendemos que é necessário pensar em um processo contínuo e gradativo de construção, ou seja, de desenvolvimento, não se pode, portanto, pular nenhuma fase. Pensando no indivíduo você pode entender esse processo como o movimento de construção e evolução do ser humano desde a sua fase mais primária, ou seja, desde quando este é um bebê. Ocupa-se pensar na formação e desenvolvimento físico desse sujeito.

Para pensar nessas questões a gente pode se apoiar nas teorias da biologia, da medicina, da antropologia, ou seja, nos apoiamos em todas as áreas que se propõem a pensar na forma física que constitui o indivíduo desde a sua fase inicial. Em uma outra fase, ou seja, na perspectiva cognitiva, nós nos ocupamos em pensar nos processos cognitivos que dão forma ao ser humano.

Debruçamo-nos em questões relacionadas tanto com o comportamento quanto com a interação humana, ou seja, processos relacionados à como esses sujeitos agem em sociedade nos interessam em nossas pesquisas. É nesse processo que uma área vai transitando com a outra, uma vez que os aspectos físicos, cognitivos e psicossociais, em alguns momentos, acabam se cruzando. Existem linhas de pesquisa que ramificam essas três partes do desenvolvimento humano, mas é inevitável que elas se cruzem, uma vez que todas elas pensam o ser humano de alguma forma.

É por isso que nos apoiamos em áreas diferentes para fazer com que o canal funcione e cumpra para com o seu papel social. Especificamente sobre os aspectos cognitivos, é um domínio muito amplo, pois envolve discussões filosóficas, teológicas, educacionais, oriundas da medicina, dentre outras para entender o ser humano.

A dimensão psicossocial, divide-se em outras partes. Uma delas se ocupa em pensar sobre como o indivíduo se relaciona com o mundo, ou seja, com o seu meio, sobretudo com as pessoas, por meio das interações nesses espaços e uma outra se propõe a pensar em uma determinada psicologia social, ou seja, seu objeto de estudo é, sempre, um grupo social que intriga o pesquisador, pode, ainda, ser mais de um grupo, ou seja, várias populações. Assim, conseguimos perceber que o processo de desenvolvimento humano é muito amplo porque para pensar em um único indivíduo, é necessário beber de várias fontes para que ele seja, de forma efetiva, compreendido em todas as suas dimensões. Apoiando-se, para tanto, em áreas como a ciência, a física, a geometria, a geografia, dentre muitas outras para pensar esse sujeito em interação com o mundo que o circunda.

Temos vários movimentos acontecendo neste processo de desenvolvimento. Nota-se a interação das mais diversas áreas e há, na mesma proporção, um desequilíbrio entre todas essas partes, devido a pluralidade de domínios em que se pode se debruçar. Todas as áreas podem apresentar lacunas que apenas podem ser resolvidas quando se apoia em uma outra área, sendo esse o desequilíbrio.

Assim, torna-se fundamental que uma área ofereça aparatos e métodos para que a outra consiga suprir as suas lacunas de alguma forma. Como resultado desse desiquilíbrio surgem, também, as psicopatologias. É uma área que não tem fim, pois, nessa dimensão, o desenvolvimento humano nunca poderá ter um fim. É ela quem permite um trânsito maior entre áreas devido a sua vastidão. Sendo essa a justificativa para trazer temas amplos para você em nossas discussões.

Defendemos que o conhecimento precisa ser construído a partir de domínios diferentes, sem esse acesso, o conhecimento se estagna e o indivíduo não pode se desenvolver, e, consequentemente, não há qualquer tipo de progressão. Essas questões ligadas à corrente filosófica que a revista segue está sendo organizada para ser trazida mais vezes à você para que a maior quantidade possível de assuntos possa abranger a todos os tipos de público que nos acompanham em nossas redes sociais, sobretudo em nosso canal do Youtube, pois nele a sua participação é imprescindível para que estratégias inerentes à abordagem desses assuntos possam ser pensadas para que eles sejam abordados com qualidade e profundidade.

Como você poderá perceber é um assunto muito abrangente que precisa ser abordado aos poucos, dado a sua riqueza herdada das mais diversas áreas. Aprender a se desenvolver é fundamental para que vivamos mais e com qualidade bem como faz com que nós consigamos nos relacionar melhor e conviver de forma mais saudável em sociedade com os mais diversos grupos e perfis sociais.


Download Desenvolvimento Humano


Desenvolvimento Humano
5 (100%) 6 vote[s]
Como publicar Artigo Científico

Dúvidas? Sugestões? Deixe seu Comentário!

Digite seu comentário!
Informe seu Nome aqui