Prevenção da Obesidade Infantil no Ensino Fundamental

0
2067
DOI: ESTE ARTIGO AINDA NÃO POSSUI DOI [ SOLICITAR AGORA! ]
Prevenção da Obesidade Infantil no Ensino Fundamental
5 (100%) 1 vote
ARTIGO EM PDF

RODRIGUES, Aroldo [1]

RODRIGUES, Aroldo. Prevenção da Obesidade Infantil do Ensino Fundamental. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 1. Vol. 8. pp. 184-192. Setembro de 2016. ISSN: 2448-0959

RESUMO

A escola possui o importante papel no desenvolvimento da criança como um agente de promoção de hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis, pois é o local onde as crianças passam a maior parte do tempo. Em geral as crianças ganham peso com facilidade devido a vários fatores. Este trabalho teve como objetivo alertar não só a comunidade escolar, mas também os pais dos educandos para que os mesmos tenham conhecimento de uma alimentação saudável em combinação com atividades físicas regulares para ter assim uma melhor qualidade de vida. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica com a contribuição de alguns autores como, DOMINGUES FILHO, Antônio – 2000, entre outros, enfatizando assim a importância de uma alimentação balanceada e combinação com atividades físicas regularmente. Verificou-se neste trabalho que a obesidade não estava somente dentro da escola e sim em um conjunto que liga família e comunidade, diante desta ótica foi realizado um trabalho de conscientização com os educandos através das aulas expositivas e práticas com folhetos informativos e vídeos. Entre vários e acentuados problemas encontrados na alimentação escolar como, na rapidez com que esses alimentos são consumidos, devido o curto tempo do recreio, a falta de incentivo para o consumo de alimentos frescos e naturais que nesse caso deveria ser proposto pelos seus próprios pais, para suprir as necessidades nutricionais dos seus filhos. Sendo que a escola também já contava com uma nutricionista para ajudar nesse problema da alimentação escolar assegurando uma alimentação de qualidade, mas ainda as crianças estavam consumindo lanches vendidos na cantina que não eram lanhes naturais e que estava fora dos padrões nutricionais, isso foi solucionado a cantina deixou de vender esses lanches, o primeiro passo foi dado e com isso os hábitos alimentares dos alunos passaram a se tornar cada dia melhores.

Palavras-chave: Comunidade. Pais. Alimentação. Atividades físicas.

Introdução

A alimentação e nutrição adequada são requisitos essenciais para o crescimento e desenvolvimento da criança, mais do que isso, são direitos humanos fundamentais, pois representam a base da própria vida. O problema nutricional de maior crescimento em todo o mundo é a obesidade, devido à dimensão que vem adquirindo nas últimas décadas tem sido referendada como uma epidemia, no mundo inteiro; visto que os hábitos alimentares modernos representados por fast food e pouca atividade física tem contribuído diretamente para o aumento da população obesa.

Segundo Domingues (2002), a obesidade pode ser de origem exógena, abrangendo 95 % a 98 % dos casos, ou endógena. A obesidade exógena origina-se do desequilíbrio entre a ingestão e o gasto calóricos”. A escola possui o importante papel no desenvolvimento da criança como um agente de promoção de hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis, pois é o local onde as crianças passam a maior parte do tempo. Em geral as crianças ganham peso com facilidade devido a vários fatores. O sobrepeso atinge 34,8% dos meninos e 32% das meninas nessa faixa etária. Já a obesidade foi constatada entre 16,6% dos meninos e entre 11,8% das meninas no Brasil.

Conforme DOMINGUES (2002, p.15)

A obesidade infantil é caracterizada pelo excesso de gordura acumulada nos tecidos adiposos. Está diretamente ligada a infância, pois é nessa fase, que se adquire a maior parte das células adiposas. Sendo assim, pessoas que apresentam excesso de peso na infância tendem a ser mais obesas na vida adulta em relação àquelas que se tornou obesa posteriormente, por fazer da obesidade infantil uma via para a obesidade na vida adulta.

Neste contexto o objetivo foi de fazer uma prevenção da obesidade na escola, promovendo a educação nutricional em educandos e atividades físicas de forma lúdica na escola, fez-se o levantamento em 04 grupos de 25 alunos totalizando 100 crianças, para verificar o processo de sobrepeso ou obesidade, analisou-se o consumo alimentar em relação às necessidades nutricionais, foi Informado para os mesmos e para os pais os riscos de saúde decorrente as alimentações inadequadas e estimulando-os a práticas alimentares saudáveis, observou-se qual tipo de lanche os alunos levavam para a escola.

O texto final foi fundamentado nas ideias dos seguintes autores como: DOMINGUES FILHO (2000) e (2002), PHILIPPI (2013), CORRER (2008), SICHIERI e SOUZA (2008), GUEDES e GUEDES (1998).

Desenvolvimento

O presente estudo foi realizado com 04 grupos de 25 alunos. Entre vários e acentuados problemas encontrados na alimentação da escola como:

  • Na rapidez com que esses alimentos eram consumidos, devido o curto tempo do recreio;
  • A falta de incentivo para o consumo de alimentos frescos e naturais que nesse caso deveria ser proposto pelos seus próprios pais, para suprir as necessidades nutricionais dos seus filhos;
  • A escola também passou a ter uma nutricionista para ajudar nesse problema da alimentação escolar assegurando uma alimentação de qualidade;

As crianças consumiam lanches vendidos na cantina, esse controle foi implantado na escola e os educandos passaram a ter hábitos alimentares mais saudáveis. Foi realizada a pesagem, a medida da altura, a utilização da formula para verificação do metabolismo basal, o cálculo do I.M.C., o diagnóstico através de questionário para os educando e pais dos mesmos, exposição através de apresentação dos resultados obtidos. A utilização de projetor de multimídia e a criação de um folheto informativo (Anexo 01).

Na população estudada foi verificado que no total 20% dos pais acompanhavam a alimentação de seus filhos, e o cardápio era em sua maioria sem o café da manhã porque o seu filho já acordava em cima da ora para ir para a escola, no almoço era arroz, feijão e carne, dificilmente tinha salada e legumes. O lanche que o filho levava para a escola em sua maioria era o pacote de bolacha ou salgadinhos do tipo Cheeps ou pacote de batata frita, diariamente os pais ofereciam doces e bombons. No dia a dia os pais disseram que seus filhos ficam no celular diariamente, o lazer em sua maioria era a tv, o computador e o celular, não praticavam nenhuma atividade física, e apenas 10% dos pais estipulavam horários para seus filhos assistirem tv ou mesmo ficar no computador, mas em sua maioria responderam que não tinham como monitorar seus filhos. No tocante as respostas do questionário 55% responderam que seus pais acompanhavam suas refeições e 45% responderam que seus pais iriam para o trabalho e que eles almoçavam na escola. No intervalo na escola 40% ficava só com o lanche que era oferecido na merenda, mas 60% além da merenda ainda compravam doces, salgadinhos e sorvete na cantina da escola. Quanto a sua alimentação diária 30% disseram fazer mais de 03 (três) refeições diárias e 70% disseram que faziam menos de 03 (três) refeições, mas que comiam salgadinhos doces e sorvetes no dia a dia. No que foi perguntado o que eles mais gostavam 90% disseram gostavam de Hambúrgueres, pizza, chocolate e salgados, e 10% de refrigerantes e sucos artificiais.

Pirâmide alimentar é um instrumento, sob a forma gráfica, que teve como objetivo orientar a comunidade escolar para uma dieta mais saudável. É um guia alimentar que demonstra como deve ser a alimentação diária para uma população saudável, acima de 2 anos de idade. Cada parte da pirâmide representa um grupo de alimentos e o número de porções recomendadas diariamente. Foi demonstrado que na alimentação diária devemos incluir sempre todos os grupos recomendados para garantir os nutrientes que o nosso organismo necessita, bem como na Pirâmide da Atividade Física onde mostramos cada etapa da Atividade Física.

A Pirâmide Alimentar
Figura 1. A Pirâmide Alimentar
Fonte: Google imagens

Na base da pirâmide, encontramos os alimentos ricos em carboidratos como massas, pães, cereais e arroz. Por estarem no maior grupo, devem ser consumidos em maiores quantidades durante o dia. Em seguida, encontramos o grupo das frutas, verduras e legumes que fornecem vitaminas, minerais e fibras para o nosso corpo. No terceiro nível da pirâmide, estão os alimentos de fontes de proteínas e minerais como carnes, leguminosas, leite e derivados. No topo da pirâmide estão representados os alimentos que devem ser consumidos com moderação, pois além de calóricos, podem levar a obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes e outras enfermidades. Neste grupo estão os doces, açúcares, óleos e gorduras.

Pirâmide da atividade física
Figura 2. Pirâmide da atividade física
Fonte: Sichieri e Souza (2008)

No topo da pirâmide estão as atividades mais sedentárias, que exigem pouco esforço físico, como passar horas em frente ao computador, TV, dormindo, etc.

Abaixo estão os exercícios de flexibilidade e força, que servem para manter o nosso corpo em estado de manutenção ideal, recebendo frequentemente aquela pequena dose de alongamento para nos manter relaxados, sem tensões acumuladas, com postura organizada e a força para nos manter firme para nossas atividades diárias e de esporte também, com a postura firme e estabilizada para que não haja formação de lesões osteomusculares ou posturas antálgicas.

Mais abaixo encontram-se os exercícios aeróbicos e as atividades de recreação, que servem para manter nosso corpo em atividade, longe do sedentarismo. Essa fase da pirâmide representa o que no passado passávamos a maior parte do tempo fazendo lá na selva: caçando, sobrevivendo, marcando nosso território!

Na base da pirâmide encontramos as atividades diárias, que podem parecer simples, mas demandam movimento biomecanicamente correto, organizado e exigem do nosso corpo movimentação constante, abaixar para pegar uma caixa, estender uma roupa num varal alto, passear com o cachorro na rua, mexer a pena no fogão, até os movimentos da vida moderna como dirigir o carro contam. Essa movimentação é primordial para nossa sobrevivência, porém se alguma das atividades acima da base faltarem, a base sofrerá consequências em sua composição, não será forte e resistente o suficiente para realizar todas as tarefas.

Conforme Sichieri & Souza

Televisão/computador/celular

Maior tempo gasto em frente à televisão, computador e ao celular são condutas sedentárias que têm sido relacionadas ao ganho de peso e obesidade na infância. Desde então, alguns mecanismos têm sido propostos na tentativa de explicar essa relação:

  • Diminuição do tempo gasto com atividade física;
  • Aumento do consumo de lanches rápidos e, consequentemente, maior consumo calórico;
  • As propagandas veiculadas na televisão exercem uma influência negativa nas escolhas e atitudes com relação ao alimento pelas crianças;
  • O uso inadequado do celular no dia a dia e na escola.

Conforme Guedes e Guedes (1998), dentro das rotinas de exercícios físicos, o procedimento mais indicado para provocar impacto positivo no controle do peso corpora consiste na participação de esforços físicos que envolvem a utilização de grandes grupos musculares e que possam ativar todo o sistema orgânico de oxigenação. Os exercícios que se prestam a essa finalidade são chamados aeróbicos e, de forma muito particular, incluem esforços de média a longa duração, de caráter dinâmico, em ritmo constante e de intensidade moderada.

Conclusão

Após a intervenção do trabalho realizado em reunião com a comunidade escolar cerca de 95% dos pais disseram que iriam acompanhar seus filhos na alimentação nas atividades saudáveis diariamente e que iriam monitorar seus filhos no dia a dia. Após a intervenção do projeto foram entrevistados os alunos de como seus pais estariam agindo em questão da alimentação e das atividades, 95% responderam que pelo menos um seus pais estavam acompanhando suas atividades e alimentação diária, alguns chegaram a dizer que seu pai tomou o celular e que só daria de volta quando melhorasse na escola e em casa. Vemos que a obesidade vem aumentando significativamente há três décadas, diante de vários fatores comportamentais do ser humano, dentre elas a tecnologia que avança desenfreadamente muitas vezes não acompanhadas pela população de baixa renda, mas através do crescimento populacional, as Nações em desenvolvimento e as desenvolvidas vem implantando um sistema capitalista de um desenvolvimento sustentável onde a população vem recebendo toda essa tecnologia sem ao menos serem preparadas para tal, e que o mau uso da mesma vem ocasionando na população despreparada uma vida de aprisionamento e sedentarismo, o que concluímos com este trabalho, que é na escola que temos que alertar a população contra essa doença que está tornando uma epidemia mundial “A Obesidade”, e que através de ações em conjunto poderemos combate-la facilmente para que as pessoas venham ter uma melhor qualidade de vida.

REFERÊNCIAS

CORRER, Cassyano Januário et al. Translation to Portuguese and validation of the Diabetes Quality of life measure (DQOL-Brazil). Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, v. 52, n. 3, p. 515-522, 2008.

DOMINGUES FILHO, Antônio. Manual do Personal Trainer Brasileiro. 2. Ed. São Paulo – SP: Ícone – 2002.

DOMINGUES FILHO, Antônio. Obesidade e Atividade Física. São Paulo – SP: Fontoura – 2000.

GUEDES, Dartagnan Pinto: GUEDES, Joana Elisabete Ribeiro Pinto. Controle do peso corporal: composição corporal, atividade física e nutrição. Midiograf: Londrina – PR: 1998.

PHILIPPI, Sonia Tucunduva. Redesenho da Pirâmide Alimentar Brasileira para uma alimentação saudável. – 2013. Disponivel em: http://piramidealimentar.inf.br/pdf/ ESTUDO_CIENTIFICO_PIRAMIDE_pt.pdf. Acessado em: 02/03/2015.

SICHIERI, Rosely; SOUZA, R. A. Estratégias para prevenção da obesidade em crianças e adolescentes [Strategies for obesity prevention in children and adolescentes]. Cad Saúde Pública, v. 24, n. supl 2, p. s209-s234, 2008.

Anexo 01 – Folheto Informativo

folheto-informativo-1
folheto-informativo-2

[1] Professor Especialista em Nutrição Infantil. Contato: [email protected]

Como publicar Artigo Científico

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here